Quando fui para Stuttgart com minha amiga Ana, acabamos passando no Muller Markt que tinha lá. Adoro aquela loja pois tem realmente de tudo dentro (eletrônicos, brinquedos, decoração, cosméticos, perfumaria, chocolates, presentes, máquinas para revelar fotos, etc), além de um preço bem camarada. Lá vimos que tinha uma promoção da Maybelline, você comprava um certo produto e de brinde levava um livro com dicas de beleza de um expert. Como sempre falavam pra mim que o rímel Colossal era uma maravilha, resolvi investir nele para ganhar o livro.

No trem eu e a Ana resolvemos dar uma olhada no que estava escrito e logo na primeira folha estava mostrando sobre os produtos pro cuidado da pele, cremes, máscaras, etc etc. Olhávamos e olhávamos mas a vontade que tínhamos era de só rir… Nenhum dos produtos a gente tinha em casa!

Um tempo depois, chegou aquela época de pensar o que eu queria melhorar em mim em um futuro próximo. Fui fazendo uma listinha e colocando itens que eu via nos blogs que eu sigo e que me interessavam. Pensei na minha pele e logo lembrei do tal livro de novo. Como ele é escrito em alemão, já me ajuda a encontrar mais fácil o nome de tudo nas lojas.

Foi procurando os nomes dos produtos que eu vi uma dica super bacana e que me ajudou muito: usar produtos para o seu tipo de pele e idade. Ok, disso todo mundo já sabe, mas a questão aí é outra. Muitas blogueiras fazem resenhas de produtos maravilhosos, cheios de elogios e a pessoa resolve testar. Então, muitas jovens de 16 anos falam sobre algum produto e uma mulher de 30 resolve testar. Não ajuda. Por que será? Existem cremes para cada tipo de pele e a diferença está na formulação mesmo. A pele respira diferente de dia e de noite, então faz lógica usarmos cremes que se adaptem a essas situações. Quando a mulher chega perto dos 20, nao é mais indicado que use produtos para adolescentes. Com o passar dos anos, a pele vai precisando de mais vitalidade do que antes e isso só os cremes para a idade certa trazem.

Como eu estou chegando perto dos 20, pensei que poderia trocar de creme também. Comprei um para usar de dia e um para de noite. Passou uma semana e eu já sinto um pouco de diferença, tenho bem menos manchinhas e espinhas.

Em um frio desses a pele muda também, resseca demais. Homens que vivem aqui são obrigados a perder aquela coisa de “eu sou homem, não uso hidratante”, “quem usa creme é mulherzinha”, blá blá blá. Nas lojas tem toda uma prateleira especial para homens, cheios de marcas com e sem perfume, para pele oleosa ou seca, pele sensível, cremes pro corpo ou pro rosto e todos deixam seu orgulho de lado.

No Brasil, lembro que homens tinham vergonha até de usar protetor solar para andar no sol. Aqui, os homens vão trabalhar com um potinho de creme no bolso. Quem está errado mesmo?

Anúncios