As vezes coisas entram na nossa vida e tem um gosto e aroma incomparável. Astral suave como a brisa do mar, jeito doce como mel, as vezes até azedas como o limão. Gostos variam, momentos também. Gostaria de por algum tempo ser algo do gênero, ser como qualquer um desses sabores ou aromas que todos conhecem e sabem na hora a qualidade. Talvez poderia ser o café que vem em meu caneco todos os dias, pois as xícaras de café que eu consumo refletem muitas vezes meu estado de espírito.

Quente, sóbrio e com um sabor incomparável. É capaz de causar vícios, acelerar o pensamento e clarear o que a muito tempo foi esquecido. Ser como aquela música que o compositor escreveu no seu momento de saudade e angústia. Aquela tal música que fala a realidade e não só aquelas banalidades que todos estão acostumados. Ser realmente quente, vibrante, encantador… Algo inesquecível, mesmo sendo tão simples. E como Renato Russo cantava “Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer que não existe razão?”

Anúncios