Quando vejo que existem blogueiras que conseguem ser pontuais na hora de escrever sobre o que fizeram no fim de semana, vejo o porque de meu blog continuar na mesma: eu sou preguiçosa para escrever sobre tudo no momento. Não que haja mal nisso, mas hoje quero comentar de novo sobre uma cidade que eu já escrevi sobre no Diário de Bordo faz muito tempo atrás: Ulm.

Eu e minha amiga Ana fomos na festa de despedida da Luana, outra Au-Pair que era nossa companheira de Ausflug (viagem) no dia 09.05.15. A ficha de que estamos no fim do nosso percurso Au-Pair começa a cair quando vemos nossos amigos se despedirem… É quase cruel pensar que a vida nos juntou dessa forma e nos separará deste jeito. Talvez nos reencontremos, mas talvez nunca mais conseguiremos contato… A festa estava linda, cheia de guloseimas, mas o coração doeu na despedida.

Na volta da cidade onde a Lu morava, acabamos parando por Ulm, a cidade que eu comentei acima.

Justamente naquele final de semana havia uma greve no sistema ferroviário aqui na Alemanha. Demoramos horas até chegarmos no nosso ziel (destino) e a volta foi outra catástrofe. Em Ulm, optamos por deixar nossas mochilas na estação, naqueles tais armários com chave. O valor aumentou, de 2€ passou para 3€, em compensação o tamanho continua enorme. Saindo da estação, acabamos parando em uma dessas padarias que tinham lá perto. Quando olhamos o que estava exposto, o estômago bateu mais forte: foi fome/amor a primeira vista.

DSCN0767DSCN0766

Se existe um momento que eu não gosto de fotografar é quando a comida está na minha frente, mas desta vez não resisti… Estava lindo e com um sabor delicioso. Chegando no Innenstadt (centro) de Ulm, escutamos uma música que parecia vinda dos céus… Tinha um homem tocando harpa no meio da multidão. Sim, harpa!!

Depois de tocar músicas divinas, eis que veio a surpresa: até a música de abertura do Game of Thrones ele tocou… Me senti em outra época, músicas com tema medieval ecoavam pelas ruelas. Depois da nossa pausa em uma praça para comer, seguimos em direção da Igreja mais alta do mundo, Ulmer Münster.

DSCN0762Ela tem 161 metros e 53 centímetros de altura e cansativos 768 degraus que você poderá subir se quiser. Eu já havia subido, como vocês devem ter visto no link do Diário de Bordo que eu deixei disponível acima, mas como a Ana nao havia subido, fui junto novamente.

DSCN0782

Para quem estava moída de tanto cansaço de andar de trem, subir até no topo foi quase um martírio, mas claro que valeu a pena. A Ana olhava maravilhada pra baixo e fez fotos de tudo, até que uma hora eu virei a boba da história. Na primeira vez que eu subi, fiz a famosa marginalidade de assinar meu nome no tampão do sino. Quando chegamos naquela parte, não é que eu encontrei meu nome de novo? Depois de quase 4 anos, ainda estava lá!

DSCN0798
Hey o lerei pra quem encontrar!

Subimos o máximo que conseguimos e quando chegamos lá em cima estava tão cheio que tivemos que descer. Ulm é Ulm, cada vez que vou para lá é outra emoção…

Informações úteis:

A entrada na Igreja é gratuita, porém para subir os 768 degraus você terá que comprar o ticket. Os valores são os seguintes:

Crianças até 7 anos: gratuito
Jovens até 17/estudantes: 3,50€
Adultos: 5,00

Quando o grupo for de mais que 10 pessoas, há um desconto de 0,50€ por ingresso. A regra de ser Au-Pair é válida aqui também, sempre apresente seu Ausweis (carteira de identidade alemã) quando for em um lugar histórico ou cultural.

Localização:

Unbenannt

Horários:

Janeiro e Fevereiro: 9:00 – 15:45
Março: 9:00 – 16:45
Abril, Maio e Junho: 9:00 – 17:45
Julho e Agosto: 9:00 – 18:45
Setembro: 9:00 – 17:45
Outubro: 9:00 – 16:45
Novembro e Dezembro: 9:00 – 15:45

No caso de gelo e neve em excesso só é permitida a subida até 70 metros.

http://www.ulmer-muenster.de/

DSCN0809

Até a próxima!

Anúncios