Sou um pouco de todos que conheci,
um pouco dos lugares que fui,
um pouco das saudades que deixei,
sou muito das coisas que gostei.

Só quem morou muito tempo fora de casa sabe como é voltar. Na primeira vez que eu saí de casa meu padrinho comentou que eu poderia ficar fora o tempo que quisesse, mas o lugar que eu cresci sempre seria o lugar que eu acharia mais lindo. Conheci Castelos, rios, mares, cidades encantadoras, mas nenhum lugar se assemelha. No começo eu achava que ele estava errado, mas agora eu sei que ele mesmo que tinha razão…

Na casa dos meus avós que eu cresci e aproveitei minha infância toda. Como minha mãe tinha que trabalhar eu acabava ficando com os meus avós o dia inteiro. Brincava sozinha, com meus primos, com os animais, com qualquer coisa que seja. Foi libertador pois eu tive infância cheia de amor e brincadeiras e não de tecnologia, ibope e “recalque”.

PórticoComo Ovelha Negra do mês (a que precisa postar o tema ao contrário) ao invés de mostrar a minha cidade, vou mostrar onde eu morei. Muitos dizem que eu moro tão longe quando estou aqui que eu até me “escondo”…. bom, me escondo na subida depois da curva. Mesmo sendo longe de tudo é bonito ver como a família dos 12 filhos dos meus avós ainda gostam de voltar, se reunir e comemorar as datas juntos.

FloresComo sempre gostei de flores, aqui em casa também sempre tinha que ter… Porém no inverno tudo se desfaz, mas meu amor por esse lugar não segue a mesma ideia.

Árvore

Quando eu tinha 5 anos ganhei uma muda de árvore da escola e a professora disse para todos plantarem. Dentre meus coleguinhas, vários nem levaram para casa. Dos que levaram, muitos deles nem plantaram. Porém eu e meu vô conseguimos, isso é o que o nosso esforço se tornou. Estranhei demais quando voltei e vi que minha “arvorezinha” ficou tão grande e fora de rumo como ela está. Faltou muito cuidado com ela!

Avós

“É o mais feliz, seja ele rei ou camponês, aquele que encontra paz em seu lar.”

Johann Goethe

Como eu escrevi acima, eu morei com meus avós por quase toda a minha vida. Injusto seria eu contar que não morei no coração deles, pois lá eu sei que tenho um espacinho pra mim. São pessoas iluminadas, devotadas, de um coração enorme! Minha base, meu porto seguro ❤

Cheleira

E tem momento mais de paz e lindo do que reunir a família ao redor de um fogão a lenha no inverno (com ou sem uma roda de chimarrão) e conversar sobre a vida? O barulho das chaleiras é o acompanhamento melhor do que qualquer outra música.

Sei que postei com uns dias de atraso, mas gente… eu estou de férias! Os dias estão tão corridos que quando eu vi era dia 05 e eu tinha esquecido completamente do projeto. Acontece em todas as melhores famílias, como diz a minha querida vó. Mas o projeto está aí e com ele as ideias pro próximo mês!

Buttom

Como a Ovelha Negra do mês fui eu, as outras meninas explicaram melhor como é o lugar onde elas vivem e não uma confusão de coisas que me lembrem onde eu vivi. Tem lugares maravilhosos!

EloísaLíviaIsabelaAna Paula

Minha dica pro próximo tema é:

“Tantas vezes ficamos tristes e cabisbaixos quando alguma coisa se encerra em nossa vida, seja um emprego, um relacionamento, uma amizade, ou qualquer outra coisa. O que esquecemos é que a vida é assim, cheia de ciclos… uns terminam e outros começam.”

Célia Cristina Prado

Espero vocês! Até!

Anúncios