Com essa vida agitada onde todos trabalham, tem vida social, cuidam da casa, visitam a família, acompanham séries e etc, fica difícil as vezes encontrar tempo para fazer o que mais gostamos e nos darmos uma pausa.

Em outras situações, também acontece o contrário. Ao invés de entenderem nossas motivações para descansar, relaxar, viajar ou simplesmente deixar algumas coisas de lado, nos olham com “4 pedras na mão” exigindo justificativas e revidando.

Eu, Bruna, tenho uma vida bem simples. Acordo, trabalho, volto para casa, tomo banho, durmo, as vezes reclamo no Twitter durante o dia e assim se segue uma certa rotina… não gosto que pessoas estranhas (que eu não conheço) fiquem acompanhando o que eu fiz ou deixei de fazer.

Tem algo que me incomoda em grandes escalas também: quando certas pessoas não são levadas a sério no quesito julgamento alheio. 

Quando uma pessoa escolhe que quer levar uma vida mais pública, é claro que ela tem que aceitar as críticas diárias que vão aparecer. Uma coisa não existe sem a outra,  uma faca de dois gumes. Ser famoso é carregar um fardo imenso… um fardo que como tal tem que ser respeitado também. Ser famoso tem muitas vantagens, mas acima de tudo renúncias na vida…

Isso tudo me lembrou de uma situação que eu vi – ao acaso – no início de abril/2016: pessoas reclamando que o cantor Lucas Lucco não deixou as fãs entrarem no camarim. “Nós amamos você, como você não nos deixou entrar?” “Nós viajamos muitos km e pagamos caro para ver você, e você nada”, foram o gênero de frases utilizadas para julgar a falta de tempo do cantor.

Claro, ele se explicou no Twitter:

Eu vi isso e me deu muito dó dele.

Ele deixou de ver as fãs para poder aproveitar sua família (nem que fosse por pouco tempo) e ao invés de aceitação, só levou críticas. Sinto dó de ver ele tendo que se explicar e não tendo o compreendimento. Tenho dó pela dor que ele sofre em não conseguir ser a pessoa ideal para quem se importa tanto com ele. Eu vivo longe da minha família faz muito tempo, mas deve ser difícil viver longe da família quando você sabe que eles estão logo aí…

Eu vejo no Lucas um menino/homem, que precisa MUITO ainda do apoio da família. Um menino/homem com força de vontade, garra e um rosto bonito.

Quando eu vejo casos como esse, fico feliz em ver que só sou mais uma. Uma que apesar de ter uma vida complicada e confusa, ainda consegue caminhar pelas ruas como uma pessoa qualquer e paz na consciência. Não quero ser famosa, quero só ser eu mesma!

Anúncios