Uma dor chamada “ser bom, mas não o suficiente”

Assisti recentemente uma série onde um episódio mostrou um relacionamento que não deu certo e nem tem mais como dar. A garota da série em questão saía com um garoto, os dois se divertiam juntos, tomavam sorvetes, andavam de mãos dadas, descobriam a sexualidade e compartilhavam sonhos, sentimentos, pensamentos e longas conversas. O tempo que passaram juntos foi lindo e maravilhoso, até o momento de o garoto falar para os amigos sobre a nova namorada e do fato de não ser mais virgem. Ele até queria um futuro com a garota, mas reprimiu essa vontade para não ser motivo de chacota entre os seus. Não que tivesse um problema com a garota, mas ele sentia que esse era o jeito de proteger ela de comentários – quem sabe – maldosos de algumas pessoas. Era melhor pensarem que ela continuava sendo “aquela lá”, do que ser “a minha namorada”.

Isso não funcionou, é claro. Os dois se separaram e o lance perdeu sua chance de dar certo. Na série, eles terminaram e a garota simplesmente continuou com sua vida, mas com uma mágoa grande dentro do coração. Ele, por outro lado, continuou pensando nela e em como tudo poderia ter sido diferente, mas nunca faz nada para se redimir. Pensando na realidade, quantas pessoas passam por isso no dia-a-dia? Quantas se sentem usadas depois de perceber que o romance só é bom quando ninguém mais está sabendo?

Sei por mim mesma que isso não é bacana e já ouvi várias vezes que sofrer por uma besteira dessas é irrelevante. Mas será mesmo que é uma besteira? Eu sou uma pessoa que adora levar as coisas de forma leve e muitas vezes eu percebo que não me levam a sério por causa disso. Só pelo fato de eu achar que cada pessoa tem o seu tempo para entrar em um relacionamento, acham que eu não quero ser a namorada de ninguém. Mas e se eu quiser? E se eu quiser ter alguém para compartilhar momentos e sentimentos comigo, é errado que justamente eu também queira isso?

Muitas e muitas vezes vi gente sair dessas se sentindo incapazes de serem amados. É sério! Achando que isso só acontece por motivos de “eu não sou boa de chega”, “eu não sou sexy, nem interessante, muito menos engraçada como a pessoa quer”. Até eu já me senti assim… VÁRIAS VEZES! Dói saber e sentir isso. Dói, principalmente, se sentir uma pessoa momentânea na vida de alguém, quando na verdade queríamos ser uma pessoa fixa. Ser aquela que está sempre aí, aquela que quer ficar. Dói pois no fundo sempre queremos ser amados ou que se tenha pelo menos uma reciprocidade de sentimentos.

Por quê eu estou escrevendo um post sobre isso? Nem eu sei ao certo. Mas queria deixar aqui um recado para todo mundo que passou por isso: você é capaz de ser feliz… a felicidade nunca vai morar na casa de alguém, se não estiver na sua primeiro. Seu corpo é a sua casa, com todas as qualidades e defeitos que ela tem. Ninguém deveria te amar mais que você mesmo. E daí se não te levam a sério como deveriam, os únicos que estão perdendo são eles. Fora que né, convenhamos, ser solteiro também não é tão ruim.

Apoiem e conversem se vocês verem alguém passando por isso. Geralmente isso é difícil no começo, mas aquela coisa chata dentro do peito passa com o tempo. Com amigos do lado então? Aí mais rápido ainda…

Você já passou por uma situação assim? Já foi a outra pessoa da história (a que não quer assumir)? Eu adoraria ler o seu relato!

Não queria ser a chata do spoiler, mas o casal em questão é Zach e Hannah de 13 Reasons Why. Pensei em não escrever isso, mas o episódio deles me marcou muito, até por eu também estar num rolo que acho que vai terminar assim. Ver isso acontecendo na série me deixou muuuuito sentimental e eu achei que uma conversa sobre o tema seria boa para mim e para quem já passou por isso também…. porque né… quem nunca viveu isso na pele, que atire a primeira pedra!

Anúncios

2 pensamentos

  1. eu quando era mais jovem tive relacionamentos abusivos e nem sabia. Parece que tinha `sorte´ por ter namorado, mesmo que nunca fosse prioridade na vida dele. Tudo dele devia ser primeiro: o futebol com os amigos, os churrascos da faculdade, as festas da familia dele. Eu que me contentasse com as migalhas de tempo e afeto que sobravam, até que um belo dia, eu cansei de ser `o cachorro abanando o rabinho´. Ai ainda escutei de `amigas´ nossa o cara era tao lindo, ele fazia faculdade, ele foi no teatro com vc. Tem amigas que sao de dar nó em pingo d´agua.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu entendo tudo o que tu passou, até pq meu primeiro namorado também era assim. Tinha uma época que eu achava que essa troca infame de prioridades dele (tudo era prioridade, menos eu) era parte da personalidade fechada dele, mas agora eu entendo que tudo isso era sim um relacionamento abusivo. Acho que essas coisas a gente só entende quando cresce, né? Sobre esse tipo de amizade, não sei se é pior conviver com alguém que não valoriza ou ter que escutar isso depois do término… Falta empatia em muitos corações, mas principalmente bom senso.

      Curtido por 1 pessoa

Mostre-me o que pensas:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s