101 em 1001 – Acompanhamento de Abril

Depois de vários e vários meses improdutivos, resolvi juntar todo o ocorrido e montar um post decente. Não, eu não passei meses e meses sem pensar nas metas e cumprir elas, apenas vi que não valia a pena colocar só um item em um post e deixar o assunto morrer por ali.

Muitas vezes pensei que conseguiria transformar essas metas em realidade mais cedo, como se essas fossem as verdadeiras preocupações que eu tenho no momento. O que não deveria me frustrar, acabou me deixando nervosa várias vezes. Mas as vezes as coisas são assim, não é? A gente precisa se incomodar com algo para entender que esse “algo” não precisa ser agora, mas sim em um outro momento. Deixar de lado o que não é urgente e focar no que mais importa. E eu tive muita, mas MUITA coisa para me focar nesses últimos meses.

A procura de emprego em solo brasileiro foi quase uma procura fracassada. Muitos currículos enviados, poucas empresas responderam e no fim eu acabei ficando muito tempo ociosa em casa.

Outubro consegui um emprego massa e que motiva a melhorar sempre… é ótimo! Muitos pontos positivos na minha vida agora posso agradecer a ele, mas fiquei meses sem postar por pura preguiça, falta de tempo, interesse e por causa de um cansaço mental real oficial. Entrei numa rotina pesada e por muitas vezes fiquei sem saber o que postar por não considerar o tema de relevância.

O que eu esqueci foi que esse blog é minha veia de escape e que escrever nele me fez uma falta imensa.

Vamos lá ao que interessa:

3. Colocar mais um brinco (fazer mais um furo)

Dia 29.05.18 eu tomei coragem e fui em uma farmácia, escolhi o brinco e deixei a farmacêutica fazer o furo com a pistolinha. Não posso dizer que não doeu, mas posso garantir que dói bem menos do que a gente imagina que vai doer. Eu, na realidade, me assustei mais do que reclamei da dor.

Para dormir na primeira noite foi um pouco desconfortável, mas nada que um álcool 70, antisséptico e tempo para curar e acostumar não resolva.

E o resultado ficou bem fofinho também 😀

Meta realizada no dia 30.05.18

7. “Achar” meus antepassados e fazer a minha árvore genealógica

Recentemente falei com um primo da minha mãe e ele me contou que está encaminhando a cidadania europeia pelo lado da família Bourscheid, que é o lado do qual também fazemos parte. Com informações repassadas por ele, já deu para completar todo o lado materno da árvore… o único lado que para mim faz sentido procurar (por motivos pessoais). Fiquei muito contente de saber um pouco mais sobre minha família e mais feliz ainda por saber que talvez futuramente eu possa ter a chance de ter um passaporte luxemburguês (europeu). Torçam por mim!!

Fonte: Foursquare (link)

18. Fazer massagem modeladora

Quando descobri um pequeno problema de saúde, decidi optar por juntar o útil ao agradável e investir em mim. Fui na Esteticista Aline Bieger, que é minha amiga faz anos, e juntas montamos um pacote que fosse bom pra mim e ajudasse nos meus propósitos. Pra mim valeu cada centavo, principalmente pelo fato de eu ter me redescoberto e passado a aceitar melhor meu corpo.

40. Doar roupas para pessoas necessitadas

Na Igreja Matriz da minha cidade tem uma campanha de roupas para pessoas carentes. As pessoas que tem interesse em doar, levam sacolas lá e as voluntárias lavam, reparam caso uma peça esteja com um furo ou rasgo e separam em tamanhos. Em determinados dias do mês, essas peças ficam em exposição num grande brechó no salão paroquial, onde pessoas carentes (ou público no geral) podem comprar as peças num valor simbólico. Eu levei uma sacola grande lá, com peças de verão e inverno.

56. Explicar para a Ana que eu fiquei muito tempo longe, mas que nem por isso eu ame menos dela

Minha afilhada é um amor e isso eu já contei pra vocês aqui. Quando eu voltei ela logo se apegou a mim como se nunca tivesse tido uma distância entre nós. Ela me abraça, dorme comigo, me chama de dinda, diz que me ama… Nem precisei me explicar muito para entender que ela é meu tesourinho e que o amor só aumenta.

57. Fazer com que a Ana me aceite realmente como madrinha e confie em mim

Como eu já escrevi no item aí de cima, a Ana já me chama de dinda e me apresenta para as profes, coleguinhas, parentes e vizinhos como tal. É dinda Bruna pra cá, dindinha pra lá ❤

 

Bom, esses meses não foram lá produtivos, mas tive muito tempo para pensar nas minhas prioridades e decidir como eu vou conseguir cumprir tudo. Mas nada como o tempo pra nos mostrar tudo isso, não é?

Como foram esses últimos meses pra vocês? Proveitosos? Calmos? Algumas metas pendentes? Um beijão!

 

 

Anúncios

Mostre-me o que pensas:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s