Importância dos exames de tireóide aos 20 anos

Enquanto mocinha, via vários casos de mulheres que comentavam de como era difícil lidar com a tireoide alterada e nunca conseguia entender em como o corpo poderia mudar tanto por causa de uma glândula em formato de borboleta que está presente no pescoço. Foi vivendo na Alemanha, ingerindo pouco iodo e dificultando o funcionamento dela que eu comecei a ver quão ruim isso pode ser.

Em 2016, estive passando por um período bem difícil onde meu psicológico não estava na sua melhor forma. Estava triste, me fechava com facilidade, tinha muito sono, pouca motivação, as unhas foram enfraquecendo, ganhei 9kg em questão de semanas, fui perdendo muito cabelo… e meu ciclo menstrual acabou alterando. Por preocupação, fui ao ginecologista ver se poderia estar com algo desregulado nesse sentido.

No consultório, expliquei o que sentia e o quanto isso estava me afetando. Sua primeira hipótese foi a tireoide, por isso o médico logo pediu para eu fazer um exame de sangue. Uns dias depois recebi a ligação da secretária dele me dando o resultado: apareceu que eu tinha o famigerado hipotireoidismo (quando a tireoide produz menos hormônios do que deveria).

A falta desse hormônio produzido acarreta em vários problemas no metabolismo, incluindo crescimento, aumento de peso, sonolência,… vários sintomas que eu notei que já estava sentindo. Tudo me fez sentido naquele momento…

Fiz uma sequência de motivos que meu médico citou juntamente com a explicação “técnica” de fontes brasileiras. Vamos lá:

Hipotireoidismo pode ser um causador de depressão. Os hormônios tireoidianos agem nos sistemas noradrenérgico e serotoninérgico que são importantes para o humor, assim como em várias áreas do cérebro, sendo importante para memória, raciocínio, libido, sono-vigília entre outros. Portanto pacientes com hipotireoidismo devem ser avaliados quanto à alteração de humor e pacientes com depressão devem ter a função tireoidiana avaliada. (Fonte: Departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia)

Alterações na glândula podem levar a anemia, coronariopatia,  disfunções respiratórias, dislipidemia, glaucoma, hipertensão arterial e insuficiência cardíaca. Assim como os problemas acima, alterações podem desencadear desordens gastrointestinais, neurológicas, endócrinas, metabólicas e renais. (Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia)

Agora a parte que mais me preocupou: Quando a glândula não produz a quantidade certa no hormônio, isso causa uma mudança/retardo na ovulação, comprometendo a união entre óvulo e espermatozoide na fecundação. Isso significa que mulheres com hipo ou hipertireoidismo podem ter dificuldade de engravidar. Tirando isso, mesmo que a mulher consiga engravidar (ou o homem com a doença consiga engravidar a mulher), se a doença não está controlada, o bebê pode nascer com problemas cognitivos e até redução de QI, surdez e deficiência no crescimento – isso se a mamãe não abortar antes. (Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia)

Para uma gravidez tranquila é essencial que a glândula funcione direito, especialmente nas 12 primeiras semanas, período em que alguns hormônios da futura mãe diminuem e outros passam a ser fabricados, a placenta começa a se formar e o bebê desenvolve seus principais órgãos.

thyroid problem

Tá, agora você deve estar pensando: por qual motivo eu realmente devo me preocupar quando estiver com 20 ou mais???

Geralmente com essa idade mulheres estão vivendo um turbilhão: tem faculdade, curso, família, amigos, trabalho… e geralmente não tiram tempo para exames de rotina. Quando aparece um cansaço fora do normal, a culpa é sempre da vida agitada, da rotina que é pesada demais, da falta de tempo para dormir… mas dificilmente pensam que a tireoide pode ser a causadora de muitos problemas como esses.

Por isso é sempre bom ter esse fator na consciência: se preocupar consigo e investigar caso apareça um sintoma persistente. Vendo pelo meu exemplo: eu sou maluca por ser mãe, sempre quis ter filhos…. imaginem se eu não tivesse ido atrás de um médico quando comecei com as suspeitas?? Talvez tivesse num quadro de infertilidade quando chegasse o momento de pensar em engravidar.

Espero que vocês tenham entendido a mensagem de cuidado e respeito com o corpo que eu quis passar. O El Diver mostra minhas divergências pessoais, então acho que é super interessante que eu passe meus acertos também, não só meus erros e reflexões 😀

Deixei os links das fontes concretas que eu usei, então se vocês tiverem interesse, leiam com calma. Quis deixar essa dica, pois mulheres fortes se preocupam com a saúde e bem estar de outras mulheres.

Juntas somos mais fortes!

Abraços,
Bru.

Anúncios

9 pensamentos

  1. Nossa Bruna! Lendo seu depoimento eu votei no passado literalmente. Em 2014 estava passando por um baixo astral danado, engordando mesmo sem comer muito ai fui na ginecologista pra ver se eu tinha ovário policístico e ela me encaminhou pra endocrino, que constatou que eu tinha hipotiroidismo também. Nossa, foi um alívio saber que meu organismo era preguiçoso por conta de um hormônio. Me medicaram e hoje estou cuidando super da alimentação. Meu peso estabilizou or um tempo, mas ai descontrolou tudo de novo e estou na luta pra ajustar corretamente a dose do meu medicamento. Mas nem tenho sofrido, pois como minha saúde está 100% e exames em dia, a aparência mais cheinha nem me incomoda mais. Sei que é questão de tempo até tudo se estabilizar novamente 🙂

    Curtir

  2. A gente acha que tem que deixar para se cuidar só quando estiver velha, mas é desde sempre. Tb cheguei a fazer exames quando engordei horrores em pouco tempo, mas felizmente nao deu nada na tireoide, foi questão emocional mesmo e descontrolei meu organismos. Mas sempre que vou na nutri ela olha minha tireoide.
    bjos floooor

    Curtido por 1 pessoa

    1. É verdade, Pri!
      A gente sempre costuma esperar até quando estamos realmente mal para ir ao médico, sendo que se a gente levasse mais em conta os sinais, não precisaria nem deixar chegar a esse ponto.
      Tudo que passamos tem um propósito: o de nos ensinar ou mostrar algo. Vendo essa minha limitação eu aprendi muito sobre meu corpo… até tentei uns tratamentos alternativos e foi massa demais para reforçar o quanto eu preciso me respeitar.
      Continue cuidando do bem mais precioso que é teu corpo, minha flor!
      Beijão

      Curtido por 1 pessoa

Mostre-me o que pensas:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s