Busca

Divergências Vitais

Memórias, dicas e "causos" de uma brasileira vivendo na Alemanha.

Categoria

Projetos

Grey em #abraolivrodv

 

Na primeira vez que eu segurei um livro de 50 Tons de Cinza na mão eu falei:

-“P*ta merd*!!! Nem que me paguem eu leio uma coisa dessas…….” Continuar lendo “Grey em #abraolivrodv”

Anúncios

Desculpa o incomodo, estamos em reformas

Olá caro leitor, cara leitora…

Sei que é clichê falar que o tempo está voando, mas tem momentos que dá a sensação que ele realmente está. Dia 17 de fevereiro o blog estará fazendo  Continuar lendo “Desculpa o incomodo, estamos em reformas”

Blog Day, baby!

E depois de um agosto longo e rápido para quem participou desse BEDA lindo, é com felicidade que chegamos na parte mais linda: a das honrarias. Dia 31/08 é uma data importante pois é o Dia do Blog/Blog Day. Continuar lendo “Blog Day, baby!”

O bendito entre as mulheres

No dia 1 (primeiro dia de BEDA), pedi a opinião dos leitores no geral a respeito de um novo colaborador homem. O resultado foi unânime: sim!

No ano de 2015, já havíamos tido um colaborador na época de BEDA: o Luís, lembram? Ele ficou conosco por um tempo, mas teve que retornar ao Brasil e acabou ficando com uma rotina dura demais para sentir vontade de formular e editar posts. Deixamos a opção de saída como escolha própria dele e como era melhor, ele saiu. Mas foi super compreensível, nao é?

Um dia desses, enquanto conversava com um amigo surgiu uma ideia. Ele perguntou se havia uma “vaga livre” no Diver e se propôs a escrever. Logo pedi para minha atual colaboradora Lisandra (sempre firme e forte comigo) o que ela achava e depois de ver alguns escritos dele, concordamos que poderia ser altamente interessante – nao só para nós que escrevemos – mas para todos que acompanham por aqui.

Topamos.

Sem mais delongas, apresento por aqui o Guilherme!

nGui

Nos próximos dias ele mesmo fará um post falando mais de si. Mas o recado está dado: agora o time do Diver tem mais um membro! Seja bem-vindo!

Melhores da segunda semana

Coloca o dedo aqui quem amou a primeira semana!!! Acho que minha mão provavelmente ficou cheia de dedos… Brincadeiras a parte, a semana passou de novo muito rápido. Foram muitos assuntos diversos no blog e chegou me dar um orgulho de ver tudo o que rolou por esse BEDA. Continuar lendo “Melhores da segunda semana”

Melhores da primeira semana do BEDA

Que agosto está começando de forma bem ligeira, percebe-se pelas postagens do BEDA nos blogs parceiros e amigos. Aos poucos as postagens acumulam, o tempo vai ficando apertado para ver tudo o que rola na blogosfera… então disso que surgiu minha ideia: mostrar as postagens que eu mais gostei de alguns blogs que eu acabei conhecendo por meio dessa confusão toda daqui!

Liley Carla – Se você ficar sozinho, pega a solidão e dança

Adorei o título e com isso já amei todo o resto… A questão da solidão é uma coisa que apesar de me fazer sofrer no passado, também me ensinou lições super bacanas sobre a vida no presente. Post pequenino, vale a leitura e a apreciação da música!

Brilha la Luna – Livro ilustrado: Como diria meu Gato

Depois de quase dois anos vivendo sem minha gata, foi só ler os escritos do livro que eu já tive que rir… é muita realidade num livro só! Quem tem gatos ou simplesmente ama eles, dá uma olhadinha…

Carioca do Interior – Playlist #3: Últimos meses

Playlist gostosíssima de escutar quando o que se procura é música boa! Até Maneva tem lá… Eu adorei!

Conversa Íntima – Mulheres: Carol Rossetti

Uma resenha interessante, de um livro interessante, de uma autora mais interessante ainda. Só sei que eu quero esse livro também! É muito importante que as mulheres comecem mesmo a gostar de se informar a respeito desses assuntos e parar de achar que comentários chatos e violência verbal & física é por culpa de mulheres terem nascido mulheres.

Isabella Cas – Esmaltes nudes da Risqué

Eu AMO esmalte nude! Amo… esse post só me fez ter mais vontade de comprar a coleção inteira (risos). Quem curte esmalte vai adorar!

Mulher Pequena – Meu lugar favorito no Mundo

A Mari conseguiu me emocionar com os escritos dela… que coisa mais linda! Meu coração ficou muito mais leve ao ver o lugar favorito do mundo dela ❤

Leuxclair – 10 fotos da Era do Orkut

Nem preciso comentar nada, mas que post gostoso… Lembrei da minha época e dei muita, mas muuuuita risada. Quanto tempo que perdíamos adicionando comunidades, editando fotos, procurando uma foto ideal pro fake nosso de todos os dias hahaha Que delícia de tempo! Vem ver as fotos dela…

Claro, tem vários outros blogs super maneiros esperando por indicação… para não deixar esse post muito extenso, semana que vem virão mais posts entre os nossos preferidos.

Continue acompanhando…

bedabanner

Alemão da Depressão #3

E depois de muito tempo, quem será que voltou para fazer de agosto um mês mais engraçado? Se você pensou nas pérolas depressivas, você pensou corretíssimo!

Então… estava eu e mais umas amigas no carro com o patrão de uma dessas amigas (Gastvater). O filho do homem tinha um tipo de competição de tiro ao alvo durante a tarde e a minha amiga, tentando ser querida e tudo mais, acabou gerando nossa depressão de hoje.

alemao da depressao

Ela pediu “Wie hat Dennis geschissen” e ele se segurou para não rir. Ela perguntou de novo e ele disse que “ah, bem” mas com aquela cara de “se ela perguntar de novo eu choro de rir”. Eu e as outras duas meninas sentadas atrás rimos, rimos, rimos, o cara olhava para trás se segurando e minha amiga que falou aquilo nos olhava sem entender nada.

Rimos, incomodamos ela, mas na real toda essa confusão é por causa do verbo conjugado errado. O verbo schiessen (schießen) significa atirar e o verbo scheissen (scheißen) “cagar”. Então ao invés de pedir uma coisa, a situação fedeu – em quase todos os sentidos.

É engraçado as vezes, mas tem momentos que esses bailes que a língua alemã nos dá, doem! Ainda mais quando são coisas pequenas e que são geradas por pura inocência e desatenção. Mas é a vida, não é?

Em qualquer momento vem a próxima depressão…

Beijos

bedabanner

BEDA 2016? Vai ter sim!

E você se pergunta: o que diabos é esse tal de BEDA?

Bom, BEDA é um projeto inspirado no VEDA (Vlog Every Day August) que significa nada mais, nada menos, do que postar algo todos os dias do mês de agosto. Nao precisam ser postagens grandes, mas sim conteúdo diferente e único sempre. Com o BEDA também se pode indicar outros blogs e assim ter mais interação, além de a blogosfera fica bem mais agitada do que o normal nessa época.

O Diver faz parte do grupo “Vai um Café?” do Facebook, um grupinho pra lá de amô onde claro, o respeito predomina… No grupo surgiu a ideia de – BEDAr – novemente e como a proposta é interessante, muitos resolveram participar 😀

Depois de um baita bloqueio criativo, por aqui vamos ir indicando alguns blogs “colegas” de grupo, resenhas, conteúdo diferente e até quem sabe algumas surpresas. O projeto é ótimo para quem precisa de um gás para voltar a postar com mais frequência.

Por fim quero a opinião de vocês: O QUE VOCÊS ACHAM DE UM COLABORADOR HOMEM NOVAMENTE NO BLOG? Cada resposta será muito importante!

Beijos!

bedabanner

Um som alemão para te convencer #2

De acordo com a tecla que eu já cliquei várias vezes nesse pequeno blog chamada “música alemã nao é só gente gritando”, eis que vem aí mais motivos para vocês aceitarem que sim, alemão é um idioma bonito de se escutar! Novamente coloquei um pouco da explicação da letra para quem se interessou em saber e nao entendeu nada.

Matthias Schweighöfer – Fliegen

Essa foi uma música que surgiu do nada para o ator Matthias. Ele que está envolvido demais com a profissão de ator e o resto de afazeres, gosta de tirar um tempo para ficar com os filhos. Sua filha sente vergonha de quando ele canta, então para fazer uma homenagem (e quem sabe melhorar sua situação com a filha) ele escreveu a letra. Fliegen significa voar, e na letra ele faz um jogo de palavras bem bacana com alguns verbos. “E se por ti eu precisar voar, a gente consegue isto de alguma forma”. Música de quem faria todo o possível para deixar outra pessoa bem e feliz.

Sarah Connor – Wie schön du bist

Quando vemos alguém que conhecemos verdadeiramente, vemos seus sentimentos, qualidades e defeitos. Nao é? A Sarah entra nessa questão no decorrer da letra. Ela entende que a vida da outra pessoa nao está sendo fácil, mas tenta ajudar dizendo para a outra acreditar em si mesma e na beleza que ela mesma já possui. Nao aquela beleza superficial, mas naquela qualidade que faz a pessoa ser bonita. A letra é linda e a música também… mas eu particularmente prefiro essa versão:

Mark Forster – Bauch und Kopf

Aquele antigo dilema da pessoa que quer algo com o coração, mas a mente nao deixa. No meio dessa situação sem respostas fica essa mesma pessoa sem saber o que fazer. A letra nos diz para nos deixarmos levar pelo que o coração quer nos mostrar, enquanto ainda temos essa chance.

Silbermond – Leichtes Gepäckt

Essa música é um “tapa na cara” de quem é consumista… é uma música para aprendermos a nos contentar com pouco, com o simples, viaja-se bem melhor com uma mala pequena.

O que estão achando (por enquanto) das músicas alemãs? Nas próximas postagens terão mais estilos além de pop e rap, aguardem…

Bis zum nächsten Mal! Até a próxima 😉

Vida de Universitário #1 – Direito

Hoje começa o primeiro post do meu projeto Vida de Universitário, lembrando que são 2 por mês. Sem muitos devaneios, eu apresento-lhes o meu amigo Eduardo Matos e a entrevista que realizamos mais cedo.

12270281_423017427895894_369521056_n

Lisandra, Divergências – Onde tu mora, qual o teu curso e tua instituição de ensino?

Eduardo Matos – Santiago-RS, Bacharel em Direito na URI-Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões.

Lis, DV – Trabalha com o quê e como está sendo conciliar os estudos com o serviço?

Eduardo – Oficial do Exército. Difícil, pois meu emprego ocupa bastante do meu tempo e exige muita abnegação.

Lis, DV – Por que Direito? Que semestre estás?

Eduardo – Pelo meu objetivo de vida. Segundo semestre.

Lis, DV – Objetivo de vida?

Eduardo – Delegado Federal, política, mudança.

Lis, DV – Tem mais planos na área de estudo, como especialização?

Eduardo – Na área de política e legislação em âmbito federal com ideia de mudança constitucional e nas leis.

Lis, DV – Atualmente, as aulas estão sendo boas?

Eduardo – Satisfatórias. Algumas em função da técnica de ensino dos professores e outras em função da turma.

Lis, D V – Bônus e ônus da área.

Eduardo – Bônus: Grande abertura de possibilidades e concursos posteriores à formação e boa remuneração. Ônus: Requer grande quantia de estudo e habilidades adquiridas por lidar com direitos de outrem e por tratar de assuntos com diversas interpretações.

Lis, DV – Recado para os interessados na área.

Eduardo – Para todos aqueles que querem seguir o Direito, independente da área que pretendam seguir depois: foco. Só o estudo dentro das salas de aula não vai ser suficiente pra formar um EXCELENTE profissional, que é o que todos esperamos de um Bacharel em Direito. Dediquem-se, pois a responsabilidade de decidir e agir tomando decisões que influenciam diretamente a vida de outra pessoa é muito grande e muito gloriosa, façam valer a pena.

12244022_423017331229237_1568013686_n

Obrigada ao Eduardo e a todos os nossos leitores por esperarem tão ansiosamente por este projeto.

Beijos e até a próxima!

“História de amor melhor que Crepúsculo”, o início!

Quando apareceram os filmes da Saga Crepúsculo, logo com eles também vieram as críticas. Toda história de amor era melhor, uma “fadinha” com uma garota estranha não formam um bom casal. OK, gostos são gostos e é deles que eu quero falar. Como amante de livros de amor, casais, drama, tragédia e tudo o que envolve o sentimento, quero escrever sobre os casais polêmicos e explicar onde eu vi amor neles. Com esse caso de que qualquer casal tem uma “História de amor melhor que Crepúsculo”, aí vamos nós.

Antes de irmos com outras histórias, Crepúsculo será a inicial.

Bella era uma garota que teve que conviver com a separação dos pais, viver com uma mãe que trocava de casa com muita frequência, um pai policial em uma cidade pequena, uma vida solitária. Até que com 18 anos ela resolve ir morar com o pai e tentar uma vida diferente.

Como ela era a “estranha”, nada mais natural do que ela ter um amor platônico por alguém que todos diziam inacessível, que também era considerado “estranho”. Edward, inteligente, soturno, com família grande, adotado, vampiro.

Os dois tinham tudo para não dar certo, mas lutaram muito para que o relacionamento vingasse. Óbvio que a vida que ele não tem como combinar com a dela, mas isso era só detalhe. Como Romeu e Julieta com seu romance suicida, ele resolve tirar a sua “vida” para que assim ela pudesse viver a dela de forma mais sadia e segura.

Ele foi embora e deixou ela sozinha abruptamente. Louco? Sim. Mas quem que nunca tentou proteger alguém que ama e por isto priva ela de sua presença? Segurança importa muito, ninguém gosta de perder alguém que ama sem poder fazer nada para proteger. Se essa era a única forma, foi a que ele tentou. Céus e terras foram movidos em nome do par.

Enquanto todos viam que Jacob era uma pessoa boa, carinhosa, preocupada, poderia estar ao lado dela dando todo o amor e carinho que ela merecia, não, ela não desistia dos seus sentimentos por Edward. Bobeira? Não, amor mesmo.

Depois de tanta batalha, o destino fez tudo funcionar. Eles tiveram o seu sossego, sua filha, sua casa, sua eternidade. Quem que em sã consciência consegue falar que um casamento lindo daqueles não é romântico? Ou uma formatura dançando em um jardim com aqueles telhadinhos com luzinhas de Natal? Ou uma lua-de-mel em uma ilha deserta?

Irreal? Claro, isto é uma história de ficção. Realidade é todo um caso a parte!

Por que esta história de amor tem que ser ruim? Histórias de amor são sempre histórias de amor, uma não precisa ser melhor que a outra… é só haver sentimento que cada momento é único.

Veremos juntos se existe história de amor melhor que esta.

Vida de Universitário – Resultado #BEDA

Olá a todos. Vim lhes avisar sobre o resultado da enquete do meu projeto novo, o vida de universitário. Para quem não leu, aí vai: “Projeto Novo – Vida de Universitário“. Eu ainda estou juntando pessoas para fazer a matéria, colegas de cursos e semestres variados. O nome é vida de universitário, mas também terá gente de cursos técnicos e, talvez, tecnólogos.

Sobre a enquete, que fiz ao final do post de introdução do projeto, que era para os leitores escolherem a frequência dos posts. Deu empate de apenas dois votos para cada opção (que eram semanal, quinzenal e mensal). Talvez, lhes apareça 3 votos para o semanal, 3 para o quinzenal e 2 para o mensal. Esse terceiro voto da primeira e da segunda opção foram votos de teste meus que não contam. Com isso, decidi ficar no meio termo das opções. A frequência dos posts será quinzenal. Não terá um dia definido, apenas será entre os primeiros 15 dias de cada mês e últimos 15 /16dias de cada mês, e esses dias não serão próximos (ex.: 1º post dia 15 e 2º dia 16. Isso não vai acontecer). Até dia 15 de Setembro sai o primeiro post. Vai ser bem legal, vocês vão gostar.

Bom, é isso, meus queridos.

Até logo. Beijos da Lis!

badge_post_01

PARA 2015, UMA META (FILMOW) #2

Com base na quantidade pequena de filmes que eu assisto, estabeleci uma meta para o ano de 2015 na rede social de filmes Filmow para que assim eu tivesse uma certa noção do que assistir e evitar de sempre assistir os mesmos. Devagar e sempre eu vou conseguindo seguir com minha lista e hoje quero deixar por aqui minha opinião sobre mais 4 filmes:

Two Night Stand – 2014

Sinopse: Depois de ficarem uma noite e se arrependerem, dois estranhos são forçados a ficarem juntos em um pequeno apartamento e se conhecerem melhor. Devido a uma tempestade de gelo em Manhattan, que os impossibilita de sair.

Minha opinião: Quem que nunca passou por uma fase difícil e se sentiu com medo de se relacionar? É nessa situação que se encontra Megan, até que sua amiga lhe dá a ideia de sair com um homem para ficar apenas uma noite. O que era para ser uma noite se torna mais tempo por causa de um grande imprevisto, mas isso faz com que Megan e Alec (o tal homem) se conheçam ao ponto de debaterem a diferença entre fazer alguma coisa por causa das “aparências” e explicar tudo claramente e ser sincero com tudo. A relação de cumplicidade que surge entre o casal é bem interessante.

Divergente (Divergent) – 2014

Sinopse: Na futurística Chicago, quando a adolescente Beatrice completa 16 anos ela tem que escolher entre as diferentes facções que a cidade está dividida. Elas são cinco, e cada uma representa um valor diferente, como honestidade, generosidade, coragem e outros. Beatrice surpreende a todos e até a si mesma quando decide para qual delas quer entrar, escolhendo uma diferente da família, e tendo que abandonar o lar. Ao entrar para a Audácia, ela torna-se Tris e vai enfrentar uma jornada para afastar seus medos e descobrir quem é de verdade. Além disso, Tris conhece Four (Quatro), um rapaz mais experiente na facção que ela, e que consegue intrigá-la e encantá-la ao mesmo tempo.

Minha opinião: Lendo o livro fiquei com aquela sensação de me sentir capaz e acho que o filme passa isso também. Era uma garota muito jovem para tomar as decisões sozinha, porém ela foi lá e fez, mesmo com a sensação de que tudo daria errado. Muitas vezes na vida precisamos ser assim também, mesmo que não de uma forma assim extrema. É uma luta pela sobrevivência, pessoas fora do padrão e o par romântico é daqueles que começam com indiferença e do nada vão ficando fortes com o tempo.

Simplesmente Acontece (Love, Rosie) – 2014

Sinopse: Os jovens britânicos Rosie e Alex são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.

Minha opinião: Já me disseram que o filme é uma aberração se comparado ao livro, mas nem isso me deixou sem vontade de assistir. Pensando no sentido do filme, o que seria da vida se não houvessem desencontros não é? Esse filme mostra vários desencontros, tantos que você fica com dó, chora junto, magoa e ri quando dá certo. Eu indico esse filme, acho que esses clichês complicados/dramáticos tem um certo charme para se assistir.

Song One – 2015

Sinopse: Uma antropóloga está de volta aos Estados Unidos após um período de escavações no Marrocos, onde seu irmão sofreu um acidente. Ao retornar, ela se envolve com um astro do rock, que vem a ser o músico preferido de seu irmão.

Minha opinião: É um filme devagar, as cenas poderiam ter sido bem mais aproveitadas, os atores pareceram meio travados… mas tudo isso pode ser também um ponto positivo. Há uma sutileza de ir reencontrando vínculos, as músicas sem apelo, as risadas que demonstravam sinceridade. Gosto de finais como o desse filme, com uma sensibilidade em cada cena.

Por fim, quero deixar por aqui minha conta para quem quiser adicionar. Ficarei honrada com os convites… Conforme vou acabando com minha lista, mais filmes aparecerão por aqui. Até!

Para você, caro novo blogueiro

Quase todos os dias vejo blogs surgindo ou pessoas vindo perguntar em grupos de divulgação como é ter um blog e manter ele. Não que eu me preocupe com isso, mas é um assunto que me interessa. Muitas pessoas talentosas e que escondiam seu trabalho aparecem e muitas também acabam desistindo do seus sonhos na blogosfera pois ninguém dá suporte e acompanha.

E lá vem a Bruna falando sobre coisa que não sabe…

Não, não é isso. Apenas quero ajudar de alguma forma quem está começando por aqui e se perde por não estar focado em algumas informações.

Ainda hoje cedo enquanto a minha avó assistia a missa pela televisão, uma senhora começou a cantar uns versículos da Bíblia: “Nem só de pão o homem viverá, mas de toda palavra”. Não quero parecer que estou brincando com isto, mas logo me lembrei da frase quando pensei em escrever esta postagem. No sentido da frase, o pão poderia significar o geral. Pessoas podem viver com o “geral”, mas a palavra, conhecimento, ensinamento, tem seu significado além.

Muitas pessoas que estão entrando pra blogosfera acham que o fato de ter um layout bonito, gastar dinheiro com designers, ter milhares de seguidores em redes sociais, é o que mais importa. Porém não. Eu usaria o versículo acima da seguinte forma: “Nem só de layout o blogueiro viverá, mas de todo o conteúdo que criar”.

É muito fácil copiar o conteúdo alheio, trocar a fonte, umas palavras de lugar e feito. Mas isso não sustenta. É aí que caem muitos que recém começaram por aqui. Eu estou aqui a mais de um ano mas ainda cometo muitas falhas nos meus textos, mas estou tentando melhorar. Muitos acham que a perfeição deve vir no primeiro posts e os seguidores tem que deixar milhares de comentários de cara. Eu lamento, mas não é bem assim.

Ficar divulgando em todas as redes sociais não vai atrair mais pessoas, a triste realidade é que são poucos os seus amigos virtuais que vão realmente te acompanhar. Escrevo isto pois sei como é, quase nenhum se dá trabalho de abrir o seu post e te elogiar pelo que você se esforçou tanto a escrever.

Não quero desanimar ninguém, mas sinto que é isso que falta ser dito para quem está começando.

A Mariana do blog Mulher Pequena fez uma entrevista comigo com vários itens, entre eles o assunto desta postagem. Uma das perguntas era “Um conselho pra quem quer ter um blog, mas não sabe como começar”, eu respondi:

1- Não se afobe. Seus textos ficarão bem mais legais se forem feitos de forma natural.
2- Escreva sobre assuntos que você goste, não o que imagina que os outros irão gostar. Leitores são consequência, não a meta.
3- Não coloque o blog como prioridade na sua vida, dê valor ao que acontece longe da internet. Se você sair, se divirta, tire fotos, faça o que tiver vontade… Depois pense em postar.
4- Use um layout leve, algo que não atrapalhe a leitura ou chame muito mais atenção que o texto.
5- Ortografia correta e textos sem emojis, “hahaha” “hehehe”, “hihihi”e afins, são muito mais gostosos de ler. Fique atento!
E a última:
6- Não faça do blog um verdadeiro diário, mantenha informações pessoais só para você. Se você tiver um blog pessoal, não faz mal escrever sobre sua vida, mas mesmo assim… bom senso é a chave!

E esse foi apenas o meu jeito de pensar e minhas sugestões, mas nada agrada mais que posts bem feitos e textos escritos com sentimentos. Não escreva “por escrever”, escreva pois gosta disso. E só!

Esse post faz parte da blogagem coletiva do Grupo Hello! do Facebook. Caso queira fazer parte, solicite sua entrada e seja bem-vindo! Os temas do mês são Cobranças da Sociedade  e “X coisas” que você precisa saber antes de se tornar um blogueiro.

TAG: Complete a Frase

Lendo os e-mails que se atolaram na minha caixa de entrada no período que eu entrei de férias, acabei achando uma tag que eu fui indicada e nem havia reparado que o nome do blog estava incluso. Quem me indicou foi a Robécia do blog Transbordar e eu fico contente que ela tenha se lembrado de mim.

As regras são as seguintes:
• Completar todas as frases.
• Repassar para 10 blogs e avisá-los.
• Marcar na postagem quem te marcou.
• Comente com o link de suas respostas.

1.Sou muito detalhista.
2.Não suporto pessoas que não tem limites na hora de se meter na vida dos outros.
3.Eu nunca fui ao cinema sozinha, embora sempre tenha tido vontade.
4.Eu já briguei para defender pessoas que no fim nem mereciam um “ai’ saído da minha boca.
5.Quando criança eu corria muito e era rápida, ninguém entendia como eu não conseguia emagrecer (era uma criança que todos adoravam chamar de gorda).
6.Nesse exato momento queria que nem todas decisões tivessem que ser tão difíceis.
7.Eu morro de medo de morrer e não ter feito nada do que eu tive vontade, ter apenas “existido” e não vivido.
8.Eu sempre gostei de misturar alimentos doces com salgados.
9.Se eu pudesse queria poder ter um emprego tão bom que me fizesse morar meio ano na Alemanha e meio no Brasil, podendo assim ficar mais tempo com todos os que amo.
10.Fico feliz quando consigo deixar pessoas felizes por minha causa.
11.Se pudesse voltar no tempo eu teria levado mais a sério as aulas de inglês e espanhol que eu tive durante a escola.
12.Adoro me sentir capaz de fazer as coisas.
13.Quero muito viajar para lugares onde a maioria dos mochileiros deixa fora na hora das viagens. Lugares menos clichês e com mais história e paisagens incríveis.
14.Eu preciso aprender que nem em todos os momentos eu preciso ser forte, alguns eu posso me dar o tempo de me recuperar em paz.
15.Não gosto de ver pessoas chorando na frente por causa da perda de entes queridos. Isso me dói na alma.

E minhas indicadas:

♦ Fiama (Blog Hello)

♦ Mariana (Mulher Pequena)

Se você nunca foi indicado para esta #tag e está interessado em responder, me avise que eu incluirei você neste post e darei toda a divulgação necessária. O que achou das minhas respostas? Me escreva…

Acompanhamento das promessas ao vento

Dia 04 de janeiro de 2015 fiz um post de metas, ou melhor: promessas ao vento. Quis deixar algo livre, leve e solto para ser cumprido, não só metas que todos fazem e não cumprem.

Comecei com o “Continuar”.

Ter fé que as pessoas podem ser melhores que elas são. Mesmo com toda aquela mania de acusarem que tudo é inveja, “recalque”, ciúme e afins, vi muitas pessoas com bons gestos, educação, valores… isso tudo me fez continuar crendo que tudo pode melhorar. Uma pena que eu não consiga mudar o pensamento de certas pessoas, mas aos poucos talvez eu possa começar a dar uma luz para essas pessoas que caminham em direção da escuridão que é a ignorância.

Viajar e aproveitar as vantagens que os meios de transporte me trazem. Sim, e muito. Sim, poderia ter conhecido mais vários lugares mas existe a tal palavra “prioridades” que eu quero conversar mais tarde.

Deixar claro que esse é um blog pessoal e eu só escrevo o que tenho vontade. Bingo!

Não ter vergonha da minha religião. Essa foi uma tarefa complicada pois eu precisava de uma forma de me reafirmar e entender. Vi e decidi que minha fé vai naquilo que eu acredito e não no que me mandam crer. Tenho uma visão bem diferente nos últimos anos e tem me feito muito bem me aceitar dessa forma. Ao invés de rezar terços e mais terços, eu paro e reflito. Tenho bem mais conversas com meu Amigo lá em cima e isso tem me ajudado muito a me manter mais forte. Outra coisa: agradecer bem mais do que pedir!

Ter ânimo de estudar alemão. As vezes eu penso: acho que eu sou doida para continuar tentando, mas então acontecem coisas que eu tenho que agradecer: ainda bem que o alemão vem comigo desde o berço! Quantas pessoas interessantes eu conheci por causa do idioma, tantas coisas que o alemão me providenciou! Se você tiver a oportunidade, não exite de aprender mais um idioma!!

Seguindo: “Parar”

Ficar pedindo desculpas por tudo o que eu faço. Em certos aspectos isto tem funcionado além do esperado. Cansei de ter que me desculpar para me manter em uma roda de amigos ou manter uma conversa com alguém. Ultimamente me coloquei a prova e soltei tudo o que estava entalado com alguém. Cansei de ser sempre aquela que tem que vir atrás e fazer tudo ficar certo. Deixei tudo claro e com isso acabei perdendo uma amizade de anos. As vezes isso é necessário, tem pessoas que ao invés de se alegrarem com nossas vitórias só nos colocam para baixo. E essas, bem, se só julgam não fazem falta.

Pensar demais no preço das coisas. Frio de congelar no inicio de fevereiro e eu super necessitada de um casaco quentinho. Pagar um casaco de qualidade que dure anos ou algum que dure somente um inverno e seja baratinho? Eis a questão. Optei pelo caro e ele não me deixou na mão em nenhum momento, sei que não me deixará nos próximos 3 anos também. Tem coisas que valem a pena o investimento e é desta forma que eu penso agora. Mas tem a questão da “prioridade” que eu ainda quero comentar.

A não recuar quando alguém está tentando me conhecer melhor. Este tem se destacado como o mais difícil de todos e com justa razão. Me acostumei a ser dessa forma, meio fechada com meus relacionamentos, sempre interessada em algo com menos seriedade… Até que eu me vi com quase 20, sozinha e com super vontade de me envolver. O mais engraçado é que conheci alguém e tudo está sendo novidade para mim. Os olhares, comentários, ajuda mútua para a compreensão, até aquela coisa boba que é a cara ficando vermelha de vergonha… me pego imaginando e rindo de tudo.

Criar expectativas demais sobre acontecimentos e pessoas. Um colega na escola costumava escutar uma música sempre “deixa rolar, deixa rolar, deixa rolar, deixa a vida me levar…” e eu acabei pegando essa para colocar no meio da minha filosofia também. Cada ideia maluca que eu tenho a respeito de algo eu tento descartar logo. Meu problema é minha mania de achar que tudo vai dar errado sempre que envolve burocracia. Torçam por mim para eu me livrar disso também!!!

Desistir muito fácil das coisas. Sobre minhas tentativas de parar:

Ficar receosa sobre o que eu posto no blog e fanpage. Uso a parte de reafirmar que meu blog é pessoal para desfocar do assunto do receio. Se o blog é meu, porque não postar o que eu quero? Se eu usar algum caso como inspiração, que vejam! Meus acessos na Fanpage são bem minúsculos, naquele caso lá não sei o que fazer para melhorar.

E sobre “Começar”?

Ter mais foco nas minhas metas + Deixar as redes sociais de lado e começar a ler mais. Mesmo tendo conseguido ter cumprido tantas metas em questão de meio ano, sei que as redes sociais são as que ainda mais me atrapalham. Com o blog é sempre bom me manter antenada, mas como acontecem tantas coisas durante o dia inteiro, fica complicado ter vida fora quando se quer prestar atenção lá. No final do meu ano Au-Pair tentei ao máximo ficar sem o celular durante o dia, mas foi só chegar as férias que tudo começou a desandar. Trouxe vários livros da Alemanha para cá e pretendo lê-los “so bald wie möglich” (o mais breve possível). Entendam se eu me afastar…

Deixar os sabores e odores me encantarem. Quando eu cheguei na Alemanha um mundo se abriu para mim: a gastronomia. Nunca pensei que uma mistura de gostos pudesse ser tão boa. Aprendi o privilégio que é degustar!

Ser mais vaidosa. Melhorei muito nesse sentido mas ainda continuo muito negligente com minha aparência. Não sou dessas que consegue perder horas arrumando o cabelo e muito menos se maquiando. A maioria das vezes eu saio com o cabelo preso em um rabo-de-cavalo simples e com a maquiagem de dia-a-dia pois não sei fazer nada diferente.Talvez de setembro em diante eu precise de mais cuidados comigo, ainda tenho tempo para melhorar nesse sentido. E para descontrair… Mafalda!

Mesmo concordando super com a Mafalda, acho que está na hora de me dar uma chance de ter os dois…

Não ter medo de que as pessoas possam ler meus textos aqui + Escrever sobre mais temas + Domínio. Como eu comentei acima: receio já era! Temas variados eu já incluí também e a questão do domínio vai ser resolvida daqui umas semanas.

Assim foram minhas promessas gerais, fico contente que tenha conseguido aprender e mudar para melhor com elas. Agora me sinto bem mais confiante e mulher, pronta pra mais desafios!

Acima eu também comentei de “prioridades” e é sobre elas que eu quero seguir: como eu recebia o salário Au-Pair que não é tão alto assim, não quis fazer 1.001 aventuras e torrar ele todo mês. Enquanto eu via Au-Pairs me condenando por não sair tanto, vi que nem tudo precisa ser feito logo. Como eu viverei meus próximos anos na Europa, tenho certeza que poderei conhecer tudo em outra oportunidade. Sem nóia, sem pressa, do jeitinho que eu quero e o principal: sem justificativas. Primeiro eu queria viver essa fase família. Depois de 18 anos eu ganhei um pai, quem que não iria querer aproveitar essa fase caseira? Com ele aprendi a dirigir trator, usar o machado no mato, pintar paredes de modo alemão, comprar as coisas no Ikea… e sim, estou adorando. Em segundo lugar quis me presentear um pouco a cada mês, sendo que para isso não era necessário um salário todo. Em terceiro lugar: um pé-de-meia (dinheiro reserva) nunca é demais, não é?

Espero que tenha sido esclarecedor, foi bom colocar tudo isso pra fora. Foi um post comprido, mas isso é só!

No seu caso, você está conseguindo cumprir o que prometeu? Me escreva!

Desafio Literário – Das Rosie-Projekt

Como eu havia citado no post “O que eu ando lendo“, estive presa a um livro nas últimas semanas e resolvi utilizar ele como item do meu desafio. Em março, quando eu estava a caminho da estação de trem onde embarcaríamos para Veneza, aconteceu um belo de um imprevisto.

Normalmente nas estações de trem as máquinas de ticket aceitam notas mais grandes de dinheiro (como por exemplo 50 e 100 euros), mas no dia que eu fui, não aceitou. Como eu tinha ido para estação depois de sair do meu emprego, não deu tempo de passar no banco e retirar notas menores, então lá estava eu: 10 minutos antes de o trem vir, desesperada, sem ticket e sem dinheiro certo para comprar a passagem. Por sorte um anjo em forma de homem apareceu e negociou comigo. Ele pagaria a minha passagem, mas então na próxima estação eu trocaria o dinheiro e devolveria. Tivemos uma conversa super bacana no trem e logo que cheguei na estação entramos em uma livraria. Como eu iria andar muuuuito tempo de ônibus, por quê não comprar um livro? De cara vi o “Das Rosie-Projekt” e levei junto.

Somente depois que eu saí que eu vi do que se tratava. Romance com um toque de humor, parecia bom.

Item “Que você tenha comprado apenas pela capa”: devidamente riscado.

Desafio

Sinopse: Escrito por Graeme Simsion, O Projeto Rosie conta a história do professor de genética Don Tillman, e sua busca pela esposa perfeita precisando de muito mais que o questionário que desenvolveu para selecionar candidatas. E quando Rosie Jarman surge – um exemplar totalmente inadequado de parceira –, o imprevisto, o impulso e a emoção passam a ser as novas regras.

Quando terminei de ler fiquei super feliz: este foi o primeiro livro (não infantil) em alemão que eu consegui chegar até o final. A história no começo é meio sem graça, mas conforme as páginas passam tudo começa a melhorar.

Don (o personagem principal) é uma pessoa super metódica, tão metódica que até é difícil conseguir imaginar uma pessoa que leve uma vida tão planejada. Ele tinha horários para tudo, poucos amigos… até tinha uma “lista” do que comer cada dia, não podendo variar. Como os anos estavam passando e a solidão estava presente, Don pensa em fazer um “Projeto Esposa” (EhefrauProjekt) para encontrar a mulher perfeita para ele. Estipulou várias perguntas e aos poucos várias mulheres solteiras começaram a enviar as respostas. Querendo ou não, sempre tinha alguma com algum defeito… a mulher perfeita não aparecia!

Até que veio Rosie, que de perfeita (no padrão dele) não tinha nada.

Ela era bem o oposto do que ele procurava, levava uma vida que ele não conseguia entender. Enquanto ele tentava entender ela, foi mudando a si e aos conceitos. Don nunca foi de ser romântico e chorar, sempre achava que tudo era muito lógico para isso. Quando os sentimentos começaram a vir, ele viu que a lógica nem sempre pode ser aplicada a tudo. Muitas vezes precisamos esquecer o convencional e aproveitar o momento, se deixar levar e ser feliz.

Demorei mais que o normal para lê-lo, mas é um livro que eu gostei bastante. O desfecho chega a ser engraçado de tão ilógico que é. Lendo apenas os primeiros capítulos não tem como imaginar que ele terminará desta forma.

O mais legal? Estão fazendo um filme sobre o livro… pronto para ser uma dessas comédias românticas boas de se assistir quando o humor está mais ou menos.

E o book trailer? Este aí!

Já estou bem engajada na próxima leitura, esperem e verão o que sairá por aqui!

Desafio Literário – Divergente

Depois de ter postado sobre o primeiro livro que eu risquei da minha lista (No Escuro), demorou 3 dias para eu ler o próximo. Esse era uma velha indicação que eu recebia até no Brasil já, eu só não lia por ser “modinha”. O que eu posso dizer agora? Perdi tempo por não ter lido antes, é um livro com umas reflexões e mensagens bacanas escondidas no contexto.

Item “Que o título tenha apenas uma palavra”: devidamente riscado!

desafio-literario-aml-duds

Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Destemor, Sinceridade e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.

Quando uma criança entra na fase da adolescência, geralmente tem problemas de aceitação perante seu grupo de convivência. Praticamente nenhum com 16 anos toma uma decisão importante por si mesmo, todos se sentem muito dependentes de seus laços. A protagonista Beatrice, por sua vez, tem que decidir em que facção ficar, pois se fracassar seu destino é uma vida cheia de dificuldades com os sem-facção.

Todos os dias para ela eram um desafio na nova facção, tendo que aprender a achar a força e a coragem que existiam dentro dela. Em um momento de conflito ela descobriu quem realmente era e que nem sempre quem te oprime quer te atrapalhar. De prova em prova ela tinha que superar a si mesma e se manter confiante o suficiente para ser capaz.

É um livro com bastante aventura, uma garota que se descobre, um amor adolescente que aparece em um momento difícil da vida de ambos, mas apesar de tudo, o livro todo é muito previsível.

Mas previsível não é de todo ruim, só para relembrar…

Detalhe: Eu achei que este post tinha ido para o agendamento há várias semanas, mas na verdade ficou nos rascunhos durante este tempo todo. Sorry about it.

Até o próximo item!

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑