Busca

Divergências Vitais

Memórias, dicas e "causos" de uma brasileira vivendo na Alemanha.

Categoria

Variedades

TAG: Versatile Blogger Award

Depois de tanto tempo afastada da blogosfera, fui ler um dos meus blogs favoritos que eu estava sentindo saudade. Lá eu vi uma tag bem bacana e interessante.

Continuar lendo “TAG: Versatile Blogger Award”

Apenas mais um botão

Aperta o botão amarelo. Agora aperta o verde. Não assim, aperta mais forte. Viu que deu certo? Aos poucos tu aprende… Continuar lendo “Apenas mais um botão”

A volta dos que não foram

Depois de tanto tempo em hiato, é com muita felicidade que eu, Bruna, digo: OLÁÁÁ! Foram 44 dias que ficamos ausentes, 44 dias em que além do layout, muitos posts mudaram a forma e muitos assuntos foram discutidos de forma interna. Continuar lendo “A volta dos que não foram”

Uma carta de despedida

Querido 2016,

ontem cedinho eu vi você partir e vi seu amigo 2017 chegar. Sua saída foi triste para muitas pessoas e para mais que a maioria foi uma alegria. Continuar lendo “Uma carta de despedida”

TAG: 15 fatos -polêmicos- sobre mim

Olá você que está lendo…

Fazendo uma limpa no e-mail do blog, acabei lendo várias e várias postagens que se acumularam com o tempo. Como fiquei meses Continuar lendo “TAG: 15 fatos -polêmicos- sobre mim”

Fatos (In)Comuns

Antes de mais nada preciso confessar que eu (Lisandra) tenho um sistema imunológico um tanto fraco, ainda mais agora que emagreci nas férias sem dieta (e vou voltar a engordar porque faculdade dá fome!). Decidi tratar de um assunto um tanto polêmico: a saúde pública e a particular. Contarei minhas experiências ao longo de minha vida e darei um enfoque nas minhas visitas a postos de saúdes, UPA’s (Unidade de Pronto Atendimento) e hospitais, agora que estou com um problema de saúde. Meu quadro atual pode ser sério, pode não ser.

Tudo iniciou na quinta-feira passada (17/03/16), quando eu almoçava em frente ao computador (não, não é um bom hábito, não façam isso). Sentada na cadeira comecei a sentir umas dores, que iam da parte superior das costas, passando pela parte de trás do pescoço, até a nuca. Tomei um Dorflex e, mais tarde, um Torcilax. Pasmem: não fizeram nem cócegas, efeito “zero”. Ainda na quinta quase tive que faltar a aula, mas fui devido a apresentação marcada de um trabalho. Na sexta-feira (18), mais remédios e nada de efeito. Meu mindinho do pé esquerdo começava a ficar dormente. Como espírita que sou, fui sábado (19) pela manhã na farmácia do Allan Kardec, em Porto Alegre-RS. Já sentia no ar os remédios terrenos fortes não fazendo efeito, fui logo pedir uma ajuda superior. Os irmãos de luz recomendaram-me alguns remédios e ainda escreveram atrás da receita “Jesus te Ilumine. Ore. Paz”. O tratamento com esses remédios é pra 20 dias. Continuando no sábado, as dores não passavam, na verdade, a cada dia ela só piorava: toda a musculatura do rosto agora estava doendo, a metade das costas até a cabeça toda. Dores musculares horríveis que não aliviavam com nada, nem com antiinflamatório. Meus pais não aguentaram me ver daquele jeito e me conduziram até o posto da cidade de Eldorado, posto muito bom, por sinal. Lá, o simpático médico me examinou e constatou as minhas dores apenas como uma cefaleia. Disse também para eu ir até o posto de saúde do meu bairro para marcar exames, já que lá eles só podem encaminhar para moradores de Eldorado. O que puderam fazer por mim foi uma injeção de Voltaren, que eu e minha família acreditávamos que faria efeito. Fomos pra casa.

Com certo alívio das dores já no domingo (20), achávamos que Voltaren estava agindo em meu organismo. Me senti um pouco mais disposta e fui arrumar meu quarto. Lavei uns 4 pufes e passei um pano nas decorações e na cômoda. Senti-me cansada demais e deitei-me. Umas 2 horas passei mal do estômago e vomitei 2 vezes: na madrugada e manhã de segunda (21). Desde então, tenho “sobrevivido” a purê de batatas e bolacha de água e sal. Fiquei muito mal e meu pai saiu do serviço para me levar a Eldorado novamente. Antes de sair, tomei um banho com certa dificuldade, senti que da cintura pra baixo eu já estava dormente assim como meu dedo do pé esquerdo. As costas também estavam um pouco dormentes. Quase desmaiei ao sair do banho, de fraqueza. Fui à cidade vizinha. Então, fui atendida pelo mesmo médico que no sábado e aleguei que as dores não haviam passado e que Voltaren não havia agido com sucesso em mim. Medicaram-me, assim, com apenas soro, Plazil e Buscopan. Indicaram-me a UPA da Assis Brasil, aonde eles fazem os exames no mesmo dia. Fomos pra casa, descansei e dirigimo-nos à UPA, aonde chegamos às 20:11 e saímos às 22:30. Infelizmente foi por desistência: eles ainda estavam atendendo pessoas que haviam chegado às 15hrs daquele dia. O que também contribuiu para a volta frustrada para casa foi a indiferença da atendente que, mesmo eu falando que estava com dores terríveis, alegado ter ido no médico duas vezes e estar quase desmaiando, classificou-me como “pouco urgente”. Deveriam ter uns 53 em média na minha frente e somente um médico atendendo para essa classificação. Fiquei em casa com dores mesmo!

Terça (22), fui ao posto de saúde de meu bairro e o enfermeiro, muito gentil, marcou-me uma consulta com o médico para o dia 3. Ok, até eu perceber que era dia 3 de Maio, não de Abril. Pensei, até lá eu já “nasci de novo”. Falei com meu pai e ele fez um plano de saúde para mim e para ele na Unimed, mas só poderíamos usar a partir de 1º/06/16. Não estava me sentindo tão mal neste dia, a dor era suportável, então fui à biblioteca durante a tarde trabalhar, cobrindo o horário de minha chefe que estava em aula. Guardei calmamente alguns dos livros, de dois em dois. Pedi para meu pai me pegar na biblioteca (que fica na minha faculdade) quando ele saísse do serviço e faltei a aula. Ele havia comprado uns adesivos com efeito analgésico, não sei bem o nome disso, acho que é Sabiá ou Salompas, mas aliviou um tanto.

Quarta-feira (23, hoje) pela manhã meu pai me conduziu a um consultório particular no centro de Porto Alegre, o J.J. Médicos na Pinto Bandeira, acompanhada por minha mãe. O lugar é bem em conta em relação ao preço e é tudo bem organizado, em questão de meia hora eu já estava conversando com o clínico geral e ele requereu alguns exames. Informou-me que as dormências (que estavam cada vez piores e já um pouco nas mãos) e as dores poderiam ser uma Neuropatia Difusa. Primeiramente, ele me explicou que  as dores são a reclamação do nosso corpo. Como eu não tinha nada além de dores musculares e dormência, ele afirmou que os sintomas de uma doença poderiam aparecer ainda ao longo de um mês, que poderia estar algo incubado. Isso, se a dormência fosse psicológica. Ele disse que esses sintomas poderiam ser de, pouco provavelmente, um lúpus, ou essa neuropatia difusa, aonde a pessoa vai ficando com dormência e pode até perder os movimentos. Mostrando-se preocupado e prestativo (o que o dinheiro não faz), marcou pra quarta (hoje) mesmo um neurologista e só não marcou os outros exames pra hoje porque eu não estava de jejum. Senti-me aliviada de algum médico me dar respostas concretas e exames, ao invés de só dizer “que estranho” e me empurrar pra outra instituição de saúde. Agradeci a Deus por não ter dado uma cruz que eu não pudesse carregar: nesse consultório a minha família tem condições de pagar. Agora vou logo arrumar as coisas para o exame neurológico. Ainda essa semana trago mais notícias. Não há de ser nada grave, Deus é muito generoso para mim e para com os meus.

 

Beijos de Luz,

Lis

Abra o livro, o projeto

Uma letra, mais uma letra, uma sílaba, uma frase. Um verso, um poema, um soneto. Uma história, estória, drama escrito. Lágrimas em forma de palavras, risos presos em reticências.

Ah, o humor…
Ah, o romance…
Ah, o ir e vir dos personagens, narradores e quem lê.

É por isso tudo que a leitura é especial… nos faz viajar sem nem mesmo sair do lugar. Nos faz sonhar, imaginar, nos “esquecer” da realidade que nos cerca.

Vendo todos estes pontos de consideração, o Diver traz ao mundo um projeto original, porém diferente de muitos que vemos por aí. Um Projeto Literário com itens fáceis a serem cumpridos e ao mesmo tempo diferentes entre si. São 20 livros para o período de 12 meses, uma meta não tão difícil de ser alcançada.

Eu, Bruna, e a senhorita Lisandra faremos resenhas conforme lermos livros que se encaixem nos temas. Caso alguém (de outro blog) queira participar, saiba que ficaremos muito felizes. Obviamente também queremos ficar sabendo e iremos divulgar todas as postagens na Fanpage. Curiosidades, imagens dos livros e passagens das leituras serão publicadas em outras redes sociais com a hashtag #abraolivrodv.

Então, se quiserem participar, avisem rapidinho nos comentários e mandem um hallo pelo Contato que está no menu do canto superior direito. O plano é fazer algo bem organizado e divertido, não somente um projeto sem graça que não será cumprido. E agora, quais são os itens?

abra-o-livro-divergenciasvitais (1)

E ganhou vida nosso mais novo menino. Que seja um projeto muito bacana de participar e que consigamos cumprir ele a tempo… “simbora” ler!!

 

Entrevistando a Blogueira (Blog Hello)

Há algumas semanas fui convidada a responder umas perguntas da queridíssima Fiama do Blog Hello! As respostas, como sempre, foram pensadas com o coração e com a maior verdade que eu consegui expor. Espero que gostem e leiam até o final! Foi uma honra ter recebido este convite!

✨ Hello ✨

Olá, Bruna. Antes de iniciar essa entrevista, gostaria de te agradecer por ter aceitado o meu convite! Espero que esse bate-papo seja bem descontraído e proveitoso. =D

BLOG HELLO – Para começar, gostaria que você me falasse um pouquinho sobre você

BRUNA – Para os que não me conhecem, sou a Bruna, brasileira gaúcha morando no sul da Alemanha e tenho o Divergências Vitais já fazem quase 2 anos. Nunca pensei em ser blogueira e levo o fato de escrever como um hobby, sei que para muitas pessoas funciona com uma profissão, mas eu sei que isso funciona em casos raros e que eu não sou motivada o suficiente para algo do tipo. Muitos dos meus leitores já me conhecem muito pelo que eu escrevo, gosto de sempre deixar um pouco de mim em tudo o que posto no blog. O meu Diver é o menino dos meus olhos, gosto…

Ver o post original 650 mais palavras

Fim do #BEDA e BLOG DAY!

É interessante o jeito em como um blog supre as necessidades de colocar nossas emoções e preferências para fora, não é? Na época em que eu decidi começar a escrever, foi uma fase muito bacana da minha vida. Eu tinha muita coisa para conversar, comentar, discutir e ninguém para poder compartilhar tudo o que eu via. Em um curso que eu fiz, o professor (e grande amigo meu) me disse que um blog poderia ser uma boa ideia para minhas “crises” criativas. Quando eu vi que o Blogger era complicado demais de lidar, vi no WordPress uma nova oportunidade. Lembro dos primeiros comentários e como eu ficava maravilhada quando aparecia uma notificação.

Em casa eu não recebia apoio nenhum, mas agora alguns familiares leem e até gostam do conteúdo. Amigas da época do Brasil até hoje não entendem o que me motiva a “perder tempo” blogando, mas adoro escrever e para mim tudo por aqui vale a pena.

Aqui na Alemanha nem adianta eu querer que alguém leia o que eu escrevo em português, mas é uma experiência bem engrandecedora quando me explicam a história e os “porquês” de tudo para assim ficar mais fácil de eu explicar aqui no Diver na minha língua materna. Todos adoram quando alguém se interessa pela realidade do povo que vive aqui.

Então, para o Blog Day, nada melhor do que indicar várias pessoas que eu gosto e que tem um espacinho especial no meu coração. Sao blogs super lindos, porém as pessoas que escrevem sao mais admiráveis ainda! Claro que eu vou esquecer de muita gente neste post, de antemão já peço desculpas.

Que tal Blog Day com tag?

Adoro TAGs e essa indicação teve um gostinho ainda melhor: a Mari do blog Mulher Pequena que me indicou e foi ela mesma que criou tudo. Como é Blog Day e aqui também o dever é indicar blogs, juntei as duas ideias. Vamos lá:

Regras:

1. Responder todas as perguntas.

2. Criar alguma ilustração para a TAG (que tenha a ver com seu blog!).

3. Indicar pelo menos 3 blogueiros para responder!

4. Recomendo que respondam as perguntas com blogs pequenos (se possível).

As perguntas:

qual-e-o-blog-divergenciasvitais.jpg

Que mais acesso… Já que agora estou de volta na Alemanha, nos últimos tempos acabei acompanhando muitos blogs que falam da Europa, turismo, viagens, dicas e curiosidades sobre vários lugares. A Ana Luiza que está grávida na Suíça do Pelo Mundo Blog, a Isadora do Vai sem medo, a Yasmin que sabe bem como é o dilema de ser intercambista do Na Terra dos Coalas

Que indico a todo mundo… Desde que conheci, o blog (e a pessoa que o escreve) virou meu queridinho: We ❤ UK da Luciana Martins. Tem também o Panela Européia da Pam que eu adoro demais! Hello! Já falei do Hello?

Que inspira minhas postagens… Fico toda boba quando leio os escritos do Gustavo do blog Um Drink de Verso, super apoio o lançamento de um livro!

Com um conteúdo invejável… Sei que ela já foi indicada, mas a Bia do Since 85 tem um conteúdo demais, eu adoro!

Com as melhores fotos… com toda certeza  a Ana do This German Life!

Que amo quem escreve… A Lis minha colaboradora daqui do Diver, ela é um amor de pessoa ❤

Que podia ser minha melhor amigo(a)…  A Mari que me indicou, se colocassem nós duas juntas teríamos assunto para conversar por dias…

Que eu queria “ter a vida” por um dia… a Renata e a Carol do Classic and Alternative. Elas viajam, compram, viajam mais um pouco, compram mais um pouco, mudam a cor do cabelo… como eu queria!

Que eu queria roubar o guarda-roupas… Sabe a Carol e a Renata que eu citei acima? Então…

Que mais parece comigo… Quem? Quem? Quem? Claro que a Vera do Extraordinariando!! Hahahaha Adoro as postagens dela, aliás, temos o gosto praticamente igual para música e filmes! E OneRepublic ❤

Espero que a lista de blogueirxs tenha bastado! O BEDA foi lindo, maravilhoso, as postagens criativas, uma honra para mim poder ter participado disso tudo! Mas chegou ao fim e agora tudo ficará normal por aqui, sem pressa como sempre foi! Agradeço as visitas que apareceram por aqui e deixaram comentários… a Letícia que sempre aparece cheia de animação e vida, o Mariel que sempre deixa rastros de uma inteligência nata, a Mia sempre doce e querida, a Lígia e a Milca ex colegas de projeto fotográfico, as meninas do 5 on 5

Era isso pessoal! Mais um ótimo ano aqui na blogosfera para todos nós (e também para os que vierem com o tempo)!

Lembrando: Se o link do seu blog apareceu nas respostas da tag, considere-se oficialmente indicadx. Espero as respostas!

Abraço!

 badge_post_01

Mercedes-Benz Museum

E para quem vai à Stuttgart e ama carros e velocidade? Esse post é uma ótima dica!

Mercedes-Benz Museum (Museu da Mercedes-Benz) é o único museu do mundo com mais de 125 anos da história da indústria automobilística. Em um espaço de 16.500m², são 160 automóveis e mais de 1.500 itens expostos para ver. Incrível, não é?

No caminho através da exposição, os visitantes experimentam uma viagem única através da história automotiva. Um elevador leva os “curiosos” para o nível superior do museu e de lá começa um grande flashback. Começa com o ideal, construção, mudanças no motor… até chegar no futurismo, F1 e a loja da marca. É super bacana poder ver a evolução, muitas vezes você se vê vivendo na época e sente muita vontade de poder entrar nos carros, ônibus e caminhões para sentir como é andar naquelas máquinas… Fora a vontade de ter um daqueles carros na garagem!!

mercedes-benz-6-divergenciasvitais.jpg

Conforme os andares da construção mudam, as músicas mudam também. Enquanto você caminha de um andar ao outro, nas paredes está uma amostra do que mudou de uma época para outra. Há um andar que toca Beatles, outro que mostra os maiores sucessos de Elvis, outro que parece que você está em plena corrida de Fórmula 1. Não tem como não ficar encantado nesse lugar.

mercedes-benz-7-divergenciasvitais.jpg mercedes-benz-divergenciasvitais.jpg mercedes-benz-2-divergenciasvitais.jpg feminismo-divergenciasvitais.jpg mercedes-benz-4-divergenciasvitais.jpg mercedes-benz-8-divergenciasvitais.jpg

Informações:

Guia: Não há guia turístico explicando tudo para você. Na entrada você ganha um aparelho com fone de ouvido que por um sensor você pode escolher o que quer escutar a respeito do assunto. Está disponível em espanhol, alemão e inglês.

Horário de Atendimento: Terça até domingo: das 9:00 até 18:00. A venda de ingressos se encerra as 17:00. Nas segundas está fechado.

Endereço: Mercedes-Benz Museum
Mercedesstr. 100
70372 Stuttgart

Contato: Diariamente das 9:00 – 18:00
Tel.: +49 711-17 30 000
Fax: +49 711-17 30 400

Mais infos em: https://www.mercedes-benz.com/de/mercedes-benz/classic/museum/

Gostaram? Alguém conhece mais um prédio assim? Se sentiu curioso para conhecer?

A sensação dual que é o retorno

No sábado o Luís voltou da Alemanha e com ele veio uma bagagem emocional e turística muito grande. Em junho, fui eu quem fiz o caminho de volta. Voltei para casa em que eu fui criada aqui no Brasil sendo que o máximo de viagens que eu havia feito sozinha eram os percursos entre a casa da minha família hospedeira e onde minhas amigas e minha mãe moravam. Foi interessante para mim ter uma experiência assim justo nessa fase da minha vida.

Nossas motivações eram diferentes (minhas e do Luís), eu vim de férias, ele para tomar um rumo diferente na vida. Agora que está chegando a hora de voltar à Alemanha me vem na cabeça a quantidade de coisa que eu deixei de fazer desde que vim. Poderia ter viajado mais, ter ido na casa de pessoas para visitas, mas não. Acabei ficando muito tempo em casa passando tempo descansando, lendo, conversando com a família e jogando carta com os familiares. Da mesma forma eu aproveitei um monte também, mas do meu jeito e com pessoas que eu realmente gosto.

Tem muitas pessoas que acham que isto não é algo divertido, mas a saudade que temos dessas pequenas coisas enquanto estamos longe é a dor que mais dói. Dói ver as fotos dos churrascos de domingo e saber que não dá para se fazer presente, dói contarem das tristezas, doenças e saber que de longe você realmente não pode fazer nada. Acho que só quem mora longe de sua família que sente isso, sente que o amor só aumenta e como os “colos de mãe”, ombros amigos e palavras sinceras fazem falta no dia-a-dia. É estranho ter um oceano e mais milhares de km de distância atrapalhando quando você só precisa de um beijo de vó e um abraço de urso do avô.

Mais um ano que eu estou aqui no Brasil tendo que ir me despedindo lentamente de tudo o que eu me reacostumei, dos vizinhos, dos passeios com os amigos, para ir para outro país e ter que aprender a conviver com todas as diferenças que tem lá. São escolhas feitas e agora resta aturar as consequências, mais uma vez a vida divergindo de uma fase pra outra e fazendo valer o nome do blog.

Mesmo com todo esse lado ruim é uma experiência ótima poder ter essas novas oportunidades, essas mudanças fazem valer…

vacas.jpg
Apenas um pouco do que eu vi desde que voltei…

flor2.jpg por-do-sol-nsc.jpg flor3.jpg floreira.jpg

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia e se não ousarmos fazê-la teremos ficado para sempre a margem de nós mesmos…

Fernando Teixeira de Andrade

badge_post_01

Ânimos de alguém solitária na noite

Sabe aqueles momentos em que você se decepciona com as pessoas e se vê sozinho justo em um momento em que mais você precisa de companhia? É, está sendo difícil!

So how do you expect me to live alone with just me?
(Mas como você espera que eu viva sozinha, apenas comigo mesma?)

Viver e aprender, ou reaprender a viver sozinha novamente.

E no fim?

Deixa eu ver meu desenho e depois eu vou brincar… e no fim do dia não brincou.

Deixa eu ver essa dica na televisão e depois eu termino o almoço… e no fim a comida queimou no fogão e todos passaram fome.

Deixa eu ver essa série e depois eu estudo... no fim a vontade passou e as notas ruins vieram.

Deixa eu ver minha novela e depois vou viver minha vida... no fim morre e perde o último episódio.

Não adianta ler e discordar, a realidade tem feito dos humanos enormes telespectadores. Todos adoram mídia, ibope, Facebook e afins e esquecem de todo o resto. Se não esquecem, ocultam. É uma bela mistura de desculpas e pouca atitude. Não tem tempo de sair de casa para uma simples caminhada, mas tem muito tempo para sentar em frente de um televisor e assistir qualquer forma de programa.

Achei aqui: http://goo.gl/ZoAu5G

É errado não ser assim? É feio pensar dessa forma? No fim o que vamos ter feito com nossas vidas?

badge_post_01

UM ÚLTIMO PASSEIO PELA ALEMANHA #BEDA

Hohenzollernbrücke_Köln - Copia

Semana que vem completo um ano de intercambio aqui na Alemanha e chega a hora de voltar para o Brasil.

Foram muitos os bons momentos. Tive ótimas companias, das quais me orgulho chamar de amigos.

…mas sobre minhas experiências por aqui eu irei falar um pouco mais no próximo post 😉

Neste último domingo fui conhecer um pouco mais da região do Hunsrück, região da qual meus antepassados vieram. As cidades escolhidas foram Koblenz e Köln, em português Coblenza e Colônia.

O Hunsrück é uma região considerada muito romântica até. Repleta de castelos, burgs e parreirais as margens do Rio Reno e Mozela. Köln, em particular, possui uma magnífica igreja, a Kölner Dom, Catedral de Colônia e Koblenz o Deutsche Eck, local onde os rios Reno e Mozela se unem.

Foi um ótimo passeio!

E realmente gostei de ter realizado essa visitinha a cidade de Köln.

Minha prima havia morado lá por um ano e sempre me contava o quão bom era estar lá.

E realmente o passeio vale a pena  😉

badge_post_01

5 on 5 – Fases da vida (Agosto, 2015)

“Tantas vezes ficamos tristes e cabisbaixos quando alguma coisa se encerra em nossa vida, seja um emprego, um relacionamento, uma amizade, ou qualquer outra coisa. O que esquecemos é que a vida é assim, cheia de ciclos… uns terminam e outros começam.”

Célia Cristina Prado

Então você chega, vê a felicidade nos olhos dos outros, vive intensamente tudo o que está ao redor e então a fase muda novamente. Penso em fases como um jogo, de fases em fases é que a dificuldade vai aumentando. Quem disse que depois de um “chefão” malvado não virá outro para testar sua força novamente? E quem disse que você não passará de fase quando parar de se preocupar?

bruna.jpg
A vida é uma aventura aberta, exposta. Sejamos livres!

Lembro da infância e na época que jogar Mário era a diversão de domingos de chuva (quando ninguém podia sair para correr do lado de fora). No jogo as nuvens sempre tinham um sorriso, a vida muitas vezes fugia de você e você direcionava o seu jogador para a direção certa para alcançá-la. Que pura era a infância, que pura que ainda é…

criança-mamando

Agora, até em dias em que as nuvens fazem cara feia não dá para deixar de correr atrás da vida. No jogo, antes de começar a jogar dava para escolher se queria jogar sozinho ou com o amigo Luigi, isso além de escolher o momento certo de começar. Agora, muitas vezes somos obrigados a jogar sozinho e em momentos que nem temos condições.

DSCN0554

Ou quem sabe burlar as regras e fazer do jogo o mais incrível de todos?

wiesn-2014.jpg

O Mario sempre tentava salvar a Princesa, mas agora, quem que tenta nos salvar dos problemas? E aquela sensação que dá saber que temos só mais uma vida e a fase está difícil de passar?

idoso.jpg

De idas e vindas que se faz a vida, agora explica isso para o coração…

5-5-aroundtheworld

A Ovelha Negra do mês é a Ana Paula e ela irá expor os objetos que simbolizam as fases da vida. A Isa postará as fotos do mês passado e as desse mês. Aí estão os devidos links das minhas “colegas”:

EloísaLíviaIsabelaAna Paula

Por dica deixo o seguinte:

O poeta expressa seu sentimento lúdico
Buscando a rima e a simetria,
Para muito ouvir o que não devia

Deixando cândida, a linha da harmonia.

Se a replica antecede a treplica
A métrica embeleza o verso
Criando frases enriquecendo a guia.

Carlos Egberto Vital Pereira

badge_post_01

AMÉRICAS – POR QUE NÃO? #BEDA

Tendo passado esse um ano aqui na Alemanha tive a oportunidade de conhecer muitos lugares, vivenciar uma nova cultura, fazer e cultivar amizades, realizar uma verdadeira Eurotrip.

Estando logo de volta ao Brasil, por vezes me pergunto quais seriam os lugares que gostaria de visitar na América do Sul.

Em meu último emprego tive a oportunidade de conhecer um pouco do nosso Brasil. Goiânia e seus bares com música sertanejo universitária ao vivo, o Nordeste e suas praias, São Paulo e Rio e a vida business que levam, e, é claro, desbravar um pouco do nosso Rio Grande do Sul.

Mas como vinha dizendo… Quais seriam os lugares que gostaria de visitar na América do Sul? O meu olhar rapidamente se volta para uma pequena cidade localizada nas proximidades de Cusco, no Peru. Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas.

A 2438 metros de altitude e cercada por montanhas pertencentes à Cordilheira Central do Andes Peruanos e pelo Rio Urubamba, Machu Picchu se encontra em um lugar magnífico. E está repleta de história e mistério.

Fora construída entre os anos de 1438 e 1493 e abandonada 100 anos depois devido à colonização espanhola.

Para trás ficaram muitas perguntas. E essa mistura de aventura, de se ir até lá, e a história pela qual este local está circundado só me despertam mais o interesse.

Por isso eu digo: “Que venham novas aventuras!”.

machu_picchu

Espero que vos tenha sido um post bom e agradável e agradeço por estarem nos acompanhando.

Vai aí o meu Muito Obrigado!

Att

Luís Pauli

badge_post_01

BEDA (Blog Every Day August) – ROTAROOTS

Desde que entrei no ROTAROOTS sempre acompanhei de longe. Via as postagens, participava das enquetes, discussões, porém não tinha nenhuma vez botado a mão na massa. E agora meus amigos, chegou a vez do Diver!!

A proposta do BEDA é que hajam postagens diárias sobre qualquer que seja o assunto, para que assim todos tentem ao máximo criar um conteúdo bacana pro seu blog. Como estamos em mais gente aqui, vai ser algo bem variado… porém não damos a certeza de que sairá algo realmente todos os dias como o planejado.

E essa? Bom, essa era só a pequena apresentação… daqui em diante vai aparecer muita coisa. Eu e a @lisandradrower estamos a mil com as ideias, o @luispauli não deu sinal de vida ainda.

Que este seja um ótimo mês para todos nós, sem exceção!!

badge_post_01

P.S.1: Se você se interessou, clique aqui e veja mais a respeito do ROTAROOTS!
P.S.2: Esta postagem foi ao ar dia 01.08, porém irá (com toda a certeza) aparecer como dia 02, WordPress é culpado e  sorry about this!

O que eu ando lendo #2

Férias, casa dos avós, inverno, friozinho, fogão a lenha e livros: eis aí o que resume em partes os meus últimos dias. Casa de avós tem sempre muita conversa, comida, jogos de carta e quase nem me sobra vontade pra ficar sempre com um livro na mão.

Em meados de maio fiz uma postagem das leituras que eu estava tentando chegar ao fim, mas quase nenhuma delas eu consegui. Cada dia eu sentia a necessidade de ler sobre outro assunto e por causa disso acabei engatando em novas leituras nesse meio tempo. Chegando no Brasil encontrei uns pdfs  e vários livros que eu nem tinha visto aqui em casa ainda. Resumindo: já tive umas leituras bem divertidas.

Livros físicos

Noite inesquecível – Susan Mallery

noite-inesquecivel

Enquanto arrumava armários na casa dos meus avós achei essa raridade: um livro velho que minha mãe escondeu durante anos no fundo de uma gaveta. Esses livros a maioria das mães (e até das filhas) já leu algum dia… Conta sobre Holly Garret, uma mulher que teve sua casa destruída por uma tempestade e que obteve ajuda do bombeiro que salvou sua vida. Como Holly estava em situação precária, o bombeiro ofereceu um quarto em sua casa para ela ir morar por uns tempos. Ela poderia até dividir o mesmo teto com o bombeiro, mas não sabia como lidar com a tormenta que sentia quando estava com ele. Uma mulher inocente e com a auto-estima lá embaixo, um homem forte, lindo, solitário e sedutor, clima natalino, interesses e vontades em comum e um gatinho: um clichê do início ao fim.

O Colecionador de Lágrimas – Augusto Cury

Um professor especialista em nazismo e II Guerra Mundial, começa a ter insônia e pesadelos, como se estive vivendo as atrocidades do Nazismo. A partir disso o passado passa a ser vivo para ele. Em um ponto de desatino, sobe na mesa da sala de aula e diz que os alunos são parceiros de Hitler. Sua intenção é, na verdade, provocar a sensibilidade e a curiosidade de seus alunos. Bem quisto por alguns, mas muito criticado e até processado por outros, ele é banido da universidade. Mas fica famoso recebendo diversos convites para conferências enquanto se esconde de um estranho complô nazista que tenta a todo custo assassiná-lo. Para mim, é genial.

Livros digitais

Despedida de Solteira – Mila Wander

Quando me indicam um livro como esses e eu descubro que a escritora é brasileira eu já fico com um pé atrás, porém esse até me surpreendeu. Apesar dos clichês estarem em peso no livro, foi uma leitura rápida bem legal. Amande estava com tudo pronto para o seu casamento: buffet completo, salão de festa, garçons, fotógrafos, igreja, iluminação, filmagem, cerimonial, decoração, convites, vestido, maquiagem, depilação… Ela tinha absolutamente tudo sob controle. Ou melhor, quase tudo… Sequer havia cogitado uma despedida de solteira. Guiadas pelas suas amigas – e madrinhas -, Amande descobrirá que nem tudo acontece como o planejado.

A Metade Negra – Stephen King

Para Thad Beaumont, a vida é boa. Ele é um escritor de relativo sucesso, tem uma linda esposa e um casal de gêmeos encantador. Porém, Thad tem um segredo: ele publica outros livros sob o pseudônimo de George Stark. São livros violentos, completamente diferentes do que lança com o próprio nome; mas quando o segredo é inevitavelmente revelado, Thad decide “matar” George e, para anunciar isso ao mundo, posa com sua esposa diante do túmulo do “falecido”, num cemitério de verdade… só há um pequeno problema com que Thad não contava: que George não gostasse nem um pouco dessa novidade. Puto e materializado com o mesmo físico e rosto de seu criador, George agora persegue um único e aterrorizante objetivo: tomar o lugar de Thad no mundo, destruindo a tudo e a todos a quem ele ama no processo. Ainda não vi nada demais nesse livro, mas estou a espera…

E vocês, o que estão lendo? Já leram um daqui da lista?

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑