Busca

Divergências Vitais

Memórias, dicas e "causos" de uma brasileira vivendo na Alemanha.

Categoria

Vida na Alemanha

Sobre ser Au-Pair, o que eu vi desde que eu deixei de ser

Ser Au-pair na Alemanha… faz tempo que eu não comento mais sobre este assunto. “Au-Pair” é um tipo de intercâmbio interessante, intenso, divertido e também muito difícil e estressante. Com certeza, essa é uma dessas experiências que só se vê com clareza, depois de alguns anos de observação. É sobre isso que eu pretendo hoje.

Continuar lendo “Sobre ser Au-Pair, o que eu vi desde que eu deixei de ser”

Anúncios

Kuchen, bolo, tarte, cuca ou torta?

Quando me pedem o que eu ando assando aqui na Alemanha, na maioria das vezes eu costumo me atrapalhar na hora de explicar o que eu fiz. Estranho sim, mas vou explicar. Continuar lendo “Kuchen, bolo, tarte, cuca ou torta?”

Sankt-Georgs-Ritt, o que é?

No dia 06.05.17 aconteceu em Ochsenhausen (uma cidade na rota Barroca no sul da Alemanha), o famoso Sankt-Georgs-Ritt. O evento teve mais de 600 visitantes e uma programação bem interessante. Continuar lendo “Sankt-Georgs-Ritt, o que é?”

Tradições do Advento/Natal alemão

Olá pessoal!

Carnaval acabou de passar, logo vem a Páscoa e aqui no Divergências Vitais vai entrar um clima totalmente diferente: Natal! Continuar lendo “Tradições do Advento/Natal alemão”

Ano Social: um pouco a respeito de tudo

Se você é uma pessoa que se interessa por descobrir coisas novas, eu tenho um aviso: este post será para você.

Quando eu postei a respeito do ano social que eu fiz, Continuar lendo “Ano Social: um pouco a respeito de tudo”

Weihnachtsbäckerei: o dia em que os biscoitinhos de Natal ganham vida

Muitos dos que me acompanham aqui no blog a mais tempo, além de me conhecer um pouco, sabem que eu estou morando na Alemanha desde 2014. Ano passado foi o Continuar lendo “Weihnachtsbäckerei: o dia em que os biscoitinhos de Natal ganham vida”

Outono 2016

Não percebi a chegada do outono. Mas eu sentia que estava embarcando numa nova estação: todas as árvores que (não) plantei, de repente, estavam nuas. Continuar lendo “Outono 2016”

Meu primeiro buquê de flores

A primeira vez significa muito para uma mulher: o primeiro amor, o primeiro beijo, a primeira relação sexual, o primeiro filho, o primeiro emprego, o primeiro voto, Continuar lendo “Meu primeiro buquê de flores”

Pausa, ou pós-operatório

Como eu citei no post de justificativas, uma cirurgia de extração de sisos estava na minha lista de coisas urgentes para fazer. Entre problemas e mais problemas para resolver, acabou dando certo e eu já estou dias parecendo o Hamtaro. Continuar lendo “Pausa, ou pós-operatório”

O que anda acontecendo com Dona Bruna?

Antes que pensem que isso aqui é um Muro de Lamentações: isso não é!

brunadivergenciasvitais

Sabe, tem vezes que dá vontade de colocar tudo o que está entalado para fora. A vida faz questão de colocar milhares de problemas pequenos no meio do caminho e aí Continuar lendo “O que anda acontecendo com Dona Bruna?”

Lembranças de ser Au-Pair

Em 2014, eu vim para a Alemanha e vivi poucas e boas por essa terrinha. Fui feliz, aprendi, sofri também… Apesar de já ter comentado muito sobre isto aqui no blog, ontem encontrei algumas coisas que me fizeram repensar sobre minhas experiências. Continuar lendo “Lembranças de ser Au-Pair”

Meu emprego e uns significados

er·go·te·ra·pi·a
(ergo- + terapia)

substantivo feminino

[Medicina]  Processo terapêutico utilizado para reabilitação ou tratamento de doenças mentais e que consiste em ocupar o doente, geralmente com trabalhos manuais ou físicos. Continuar lendo “Meu emprego e uns significados”

Preço pago por coisas de coração

Nossa memória gosta de relembrar momentos quanto escutamos ou cheiramos algo. Na maioria das vezes é ótimo relembrar esses momentos, saber que fizemos coisas inesquecíveis e que curtimos alguma fase. Continuar lendo “Preço pago por coisas de coração”

Certas considerações a respeito de refugiados de guerra

Para todos que acompanham os noticiários e viram um pouco sobre o assunto “refugiados” na Europa, já sabem o que essa bola de neve está se tornando: uma avalanche. Continuar lendo “Certas considerações a respeito de refugiados de guerra”

Meu amigo, não sou obrigada a nada

Era Carnaval em Ochsenhausen. Eu particularmente achava que não seria lá grande coisa, no fundo eu previa que aconteceria algo para me deixar meio chateada. Sabem aquela sensação que dá antes de sair de casa avisando que vai dar m*rda a noite? Pois é. Continuar lendo “Meu amigo, não sou obrigada a nada”

O que é Bundesfreiwilligendienst?

Quando eu escrevo que estou fazendo um ano social na Alemanha, essa é apenas a forma mais fácil de explicar a situação. O nome verdadeiro do que eu estou fazendo é Bundesfreiwilligendienst. Continuar lendo “O que é Bundesfreiwilligendienst?”

Tarde de outono com photoshoot

Quando eu postei sobre minha Juba de Leão, vários leitores (aqueles que olham e nunca comentam, mas vem falar comigo pedindo explicações) olharam minha primeira foto e ficaram interessados em saber onde fica esse lugar tão diferente e lindo. Continuar lendo “Tarde de outono com photoshoot”

Você não está sozinha

Dois meses depois de começar a trabalhar no asilo ganhei uma revista com um conteúdo bem interessante envolvendo o serviço social. Além dele, também uma cartela que chamou mais ainda minha atenção. É uma folha que na parte superior aparece um pequeno texto e na inferior tem quatro adesivos quadrados com um dizer e um número de telefone.

A primeira frase da folha já chama atenção: “Toda terceira mulher é afetada pela violência”. Só de pensar nesse número já dá um embrulho no estômago, mas o pior é pensar que muitas nem entram em contato com um dispositivo de suporte ou polícia. Sob o slogan “Você não está sozinha”, o Bundesamt für Familie und zivilgesellschaftliche Aufgaben (que é o Departamento Federal da Família e dos Deveres Cívicos da Alemanha) criou essa campanha para repassar um ideal de coragem para essas tantas mulheres que preferem ficar no silêncio.

Onde eu acho ajuda? Juntos acharemos respostas. Número de telefone contra violência contra a mulher: 08000 116 016 De confiança - Gratuito - A todo momento
Onde eu acho ajuda? Juntos acharemos respostas. Número de telefone contra violência contra a mulher: 08000 116 016
De confiança – Gratuito – A todo momento

O ideal do adesivo é incentivar as mulheres afetadas pela violência a ligar com confiança para a linha de apoio. Os adesivos (para espelhos e portas de banheiros femininos, carros, janelas, postes, pontos de ônibus) servem para comunicar de forma rápida e diretamente que terão pessoas para te ajudar, não importa como tudo tenha acontecido. Há ajuda e aconselhamento para as mulheres que sofrem abuso ou estão ameaçadas, e uma chamada gratuita no tal número de telefone pode ser um primeiro passo para sair da violência.

O banheiro feminino é apenas um exemplo – de muitos – de um local para as mulheres darem uma “pausa” em caso de se sentirem perseguidas. Em lugares como este é bom estar um adesivo pois com ele a mulher tem logo em mãos as informações de onde pedir ajuda, além de ser um lugar discreto para ficar sozinha e agir.

Achei muito interessante a proposta, é bacana ver que aqui eles se mobilizam e repassam o método de ajuda até para os que estão trabalhando em algo tão simples como o BFD. Vivi 18 anos no Brasil, mas não lembro de nenhum momento ter recebido algo do gênero por meio do correio. Também não vi campanhas no rádio, televisão, ou até pessoas comentando sobre “violência” com a frequencia que o assunto merece.

Parece aquela antiga história de que “se a mulher apanha é porque fez por merecer”, “ninguém pode comentar pois não na é na sua família”, “se é na família tem que ficar quieto pois isso é uma vergonha”…  e por aí vai. Não sei se é só assim onde eu vivia, mas não lembro do assunto ser algo de enfoque nos telejornais em todo o Brasil. Parece que as pessoas ainda tem receio de quando uma mulher se declara feminista ou simplesmente contra a violência (tanto faz com quem). Aqui eu notei que é diferente, as pessoas são mais abertas para debaterem assuntos fortes. Como eu gostaria que ao invés das pessoas darem tanta audiência para os BBBs e novelas da vida, dessem mais tempo para refletir sobre assuntos que merecem mais prioridade.

Para você que está na Alemanha e quer ajudar na causa, o site dispõe materiais de divulgação grátis por encomenda. São adesivos, vídeos, folhas de informações, cartões… fácil e prático.

O que vocês acharam dessa campanha? Tem alguma parecida em sua cidade ou estado? Você acha que uma campanha dessas ajuda em alguma coisa?

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑